O avançado Caetano disse, esta terça-feira, ter de aceitar o papel de suplente utilizado no Paços de Ferreira, pelos bons resultados dessa estratégia, mas prometeu trabalhar mais para jogar de início pela equipa da I Liga portuguesa de futebol.
«Tenho entrado bem e as coisas estão a correr bem quando entro, se calhar por conseguir fazer mais a diferença pela minha velocidade, mas significa que tenho de trabalhar mais para poder jogar de início», disse Caetano, em declarações à agência Lusa.
O vice-campeão do Mundo de sub-20, na competição disputada na Colômbia em 2011, disse ainda ter de «aceitar o papel de arma secreta» numa equipa que está a fazer um «campeonato muito bom».
Caetano é o melhor marcador absoluto do Paços de Ferreira nesta época, contabilizando 11 golos, um na Taça da Liga (marcou o golo da vitória, por 1-0, frente ao Desportivo das Aves, da II Liga) e os restantes em encontros particulares, tendo desperdiçado na sexta-feira, em Barcelos (vitória por 1-0), a possibilidade de se estrear a marcar na presente edição do campeonato.
«Tentei antecipar-me ao defesa e encostar, acho que o guarda-redes do Gil [Vicente] fez uma boa defesa, mas era um lance em que devia ter marcado», sublinhou Caetano, ao recordar a jogada que podia ter ‘descansado' o Paços de Ferreira, já em vantagem no marcador, com um golo de Antunes.
Após a nona jornada da I Liga, o Paços de Ferreira ascendeu ao quarto lugar, em igualdade pontual com o Rio Ave, quinto, ambos com 14 pontos, a três do Sporting de Braga, uma prestação que o avançado justificou com a qualidade do plantel e as muitas soluções existentes, além da prestação defensiva, que considerou «muito forte».
Caetano, de 21 anos, diz sentir que «a equipa está forte», mas defendeu que «o melhor Paços ainda está para vir», tendo em conta que «o campeonato ainda está no princípio» e «a equipa tem muito para evoluir».
Em relação ao jogo com o Olhanense, no domingo, da quarta eliminatória da Taça de Portugal, Caetano afirmou o desejo de «manter o espírito de vitória», correspondendo ao desejo interno de «ir o mais longe na Taça», mas perspetivou «muitas dificuldades».
«O Olhanense é uma equipa muito complicada e creio que vamos assistir a um jogo idêntico ao do campeonato [empate a zero, na Mata Real]. Na minha opinião, a equipa que revelar mais atitude e for mais aguerrida sairá vencedora», concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.