"Este era um jogo extremamente importante para nós, porque vínhamos de uma derrota que custou muito a digerir. Assistimos a um bom jogo, em que torneámos as dificuldades, perante uma equipa bem organizada”, disse Carlos Brito.

O técnico dos vilacondenses criticou ainda aqueles que, antes do encontro, davam o Rio Ave como perdedor, justificando que os seus jogadores "não são filhos de um Deus menor".

Questionado quanto aos objectivos da sua equipa, reiterou que eles passam pela "manutenção", embora reconheça que o campeonato ainda não acabou e que, por isso, almeja ainda a uma "boa classificação".

Por seu lado, o treinador da "Briosa", André Villas-Boas, lamentou que a sua equipa não tenha aproveitado as grandes oportunidades para chegar ao golo, embora reconheça que o Rio Ave é uma equipa muito pressionante.

"Temos que melhorar mais os lances das bolas paradas. Foi aí que perdemos o jogo. Apesar do nosso domínio na segunda parte, jogámos mais com o coração do que com a cabeça. Valeu pela entrega dos meus jogadores e pelo esquema de 4x4x2", salientou o técnico.

Quanto ao rendimento da sua equipa, que sente dificuldades em recuperar quando sofre um golo em casa, anuiu que o rendimento do colectivo tem que melhorar, embora negue que o grupo sinta pressão por jogar em casa.

"Já fomos bastante dominadores em casa. Hoje deparámo-nos com um Rio Ave forte", concluiu o técnico.

O lateral direito Pedro Costa, que foi substituído aos 34 minutos por Pedrinho, sofreu uma contractura no gémeo esquerdo, sendo reavaliado nos próximos dias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.