Carlos Brito reconheceu, no entanto, que a formação da foz do Ave tem ainda aspectos a melhorar: "Vimos de uma vitória moralizadora, mas que não pode ser sinónimo de que as coisas estejam todas bem feitas. Conseguimos pontuar, mas o triunfo frente ao Setúbal só fará sentido se dermos sequência com um bom resultado frente ao Leixões".

O treinador do emblema vila-condense mostrou-se satisfeito com as prestações da equipa - empate frente à União de Leiria e triunfo sobre o Vitória de Setúbal -, mas sentiu que o grupo ainda pode "fazer mais em termos exibicionais".

Sobre adversário, o técnico do Rio Ave considerou ser "uma equipa difícil, que cria muitos problemas quando joga em casa" e que "tem tudo para repetir a boa prestação da época passada".

Ainda assim, Brito antevê um duelo equilibrado, entre duas formações "com qualidade semelhante", falando num regresso a um estádio que lhe deixou "boas recordações", quando há duas temporadas orientou a equipa matosinhense.

Quanto à possível vinda de mais um reforço para o sector ofensivo, o treinador do Rio Ave disse que pode ainda acontecer: "Até ao último dia das inscrições temos de estar sempre preparados para entradas, mas também para saídas".

Para esta partida em Matosinhos, Carlos Brito ainda não poderá contar com os lesionados André Serrão e Valdir, bem como com o reforço argentino Franco Parodi, que aguarda o certificado internacional.

Por outro lado, Trigueira e Zé Gomes deram, na sessão de treino de hoje, indicações de que estão recuperados de pequenas mazelas.

Leixões e Rio Ave defrontam-se domingo, às 17:00, no Estádio do Mar, em Matosinhos, numa partida que terá arbitragem de Rui Costa, do Porto

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.