Carlos Severino, ex-candidato à presidência do Sporting, considera que as ações de Bruno de Carvalho despoletaram os acontecimentos desta terça-feira, em que cerca de meia centena de adeptos invadiram a Academia do clube, em Alcochete, agredindo jogadores e equipa técnica.

Para Carlos Severino, está na hora de o presidente dos 'leões' "arrumar o seu cacifo e partir para outra".

"Conheço bem a Academia, estava lá na primeira pedra, na inauguração. O que aconteceu é o resultado de políticas de comunicação que instigam à violência e ao ódio. As ações do presidente na véspera,o facto de ter chamado o plantel e o treinador, ter dado a entender que Jorge Jesus não iria continuar no Sporting… tudo isto acabou por provocar este terror, esta situação inqualificável, que podia ter sido evitada com segurança, com o portão da Academia fechado", começou por defender Carlos Severino, em declarações ao SAPO Desporto.

"Aquilo pareceu tudo orquestrado, não sei por quem. É inacreditável o prejuízo que isso vai dar ao Sporting, em termos desportivos - porque os jogadores são seres humanos e obviamente ficaram afetados -, e em termos económicos. Há muitos mais milhões que o Sporting vai ter de prejuízo com esta situação do que aqueles que o presidente do Sporting referiu que perdemos na Madeira", acrescentou.

"Como é que os adeptos do Sporting vão ver a final da Taça sabendo que a equipa está intranquila? Vamos ver qual é a reação dos jogadores e da equipa técnica em relação ao que aconteceu. Podem ter razões para rescindir contrato, e isso, nesta altura é impensável, quando o Sporting está a poucos dias de jogar uma partida decisiva, que não vai salvar a época, mas pode minimizar os últimos resultados", referiu.

Foi "mais um dia triste no futebol português" diz Bruno de Carvalho
Foi "mais um dia triste no futebol português" diz Bruno de Carvalho
Ver artigo

O antigo candidato à presidência dos 'leões' lamenta ainda as declarações de Bruno de Carvalho à televisão do clube, em que salientou que o "crime faz parte do dia a dia".

"Bruno de Carvalho assenta as suas ações na teoria do caos, esperando depois que os resultados sejam previsíveis, ou seja, a favor dele. E esquece-se que a teoria do caos dá sempre resultados imprevisíveis, como o que aconteceu agora. Acho estranho que Bruno de Carvalho venha dizer que 'é chato' e que 'amanhã é um novo dia'. De facto, é um novo dia, mas aquela mancha jamais será pagada do historial do Sporting. Foi o dia mais negro da história do Sporting, Neste momento só há um caminho, que é Bruno de Carvalho arrumar o seu cacifo e partir para outra, porque ele é o problema do Sporting", atirou.

Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, anunciou que vai convocar os órgãos sociais para segunda-feira, algo que, na opinião de Carlos Severino, devia ter acontecido mais cedo.

"O presidente da MAG não tomou uma posição na defesa dos interesses do Sporting e está a alimentar a dúvida. Acho que os órgãos sociais deviam ter tomado logo uma posição. Vamos ficar na dúvida sobre o que vai acontecer, mas Jaime Marta Soares infelizmente não consegue assumir as responsabilidades do seu cargo, já praticamente destituiu o presidente e já fez as pazes com o presidente… Acho que na segunda-feira vai ser mais do mesmo", afirmou.

"Nesta altura são os sócios que têm de tomar uma posição e fazer valer os seus direitos para resolver este problema gravíssimo. O Sporting está em perigo neste momento, e é preciso salvá-lo", rematou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.