Iker Casillas, guarda-redes do FC Porto, admitiu em entrevista ao Porto Canal que lhe custou terminar a sua primeira época no FC Porto sem qualquer título conquistado. Ainda assim, o guardião espanhol garantiu que não se arrepende da sua escolha.

"Não, não, arrepender-me não! Dei este passo com ganas e vontade e sabendo das suas consequências. Na verdade, no primeiro ano não estive bem, sofri uma mudança, estive 25 anos no mesmo clube, na mesma cidade, estava também no foco mediático de toda a imprensa. À parte de jogadores de futebol, também somos pessoas, humanos, mas às vezes há que se esqueça disso. Mas quando estás adaptado, mais tranquilo, tu mesmo dás conta de onde estás e de onde podes chegar. Ir mais além. O facto de não ser alvo da imprensa, não ir à seleção, tudo isso deu-me mais tranquilidade e sinto-me melhor em campo", explicou, recordando depois a primeira época no Dragão.

"Não gosto de passar um ano sem ganhar títulos. Estive no Real Madrid e ganhei sempre títulos e quando não ganhava ficava triste pelos adeptos, e quando vim para o Porto sabia que era uma equipa que tinha qualidade para conseguir competir e alcançar títulos. A nível da Europa é mais difícil, mas podemos conseguir a Liga. Acabámos a Liga a 13 e a 14 pontos do Sporting, isso não pode ser. Uma equipa como o FC Porto não pode estar a uma distância dessas do Benfica e do Sporting para lutar pelo título. Tivemos a Taça e também ninguém gosta de perder uma final, seria melhor termos ganho, mas não conseguimos...", lamentou.

Casillas expôs ainda o seu ponto de vista a respeito das razões que levaram à época menos conseguida dos "dragões".

"Foi uma etapa de muitas mudanças. Era uma equipa a quem era exigido tudo, creio que terminou bastante bem, é certo que na Champions saímos cedo, depois fomos eliminados na Liga Europa, pois não tivemos sorte no sorteio e calhou-nos o Borussia Dortmund, uma grande equipa muito mais armada nesse momento. Aliás, quando decorreu a eliminatória estávamos com muitas baixas, jogadores que não atravessam um bom momento, lesionados. Depois saiu o Lopetegui, estivemos três semanas com o Rui Barros, depois veio o Peseiro, muitas mudanças, jogadores que saíram, outros que vieram. Tivemos a hipótese de ganhar a Taça, mas em momentos pontuais da Liga falhámos e, francamente, acho que a culpa foi dos jogadores. Houve momentos em que podíamos ter ido mais além, em outras a sorte não quis nada connosco", recordou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.