A Académica e a Naval 1º de Maio aguardam a marcação do julgamento, em sede da Comissão Arbitral da Liga, do “caso” João Ribeiro, futebolista emprestado à “briosa” pelo clube cipriota Frenaros FC 2000.

Em causa, está um pedido de indemnização da Naval 1º de Maio à Académica, com os navalistas a invocarem que o avançado não podia emprestado pelo clube cipriota no primeiro ano de contrato, mas apenas após uma época.

O clube da Figueira da Foz propôs ao jogador um contrato de renovação na época passada, mas o jogador não aceitou e ingressou no clube cipriota, que, por sua vez, o emprestou de imediato à "Briosa".

"Quem contratou o jogador não fomos nós, mas o clube do Chipre. Ele está apenas emprestado a nós, logo, nós não temos que compensar ninguém, porque o jogador não é nosso", concluiu o jurista em declarações à Agência Lusa.

João Ribeiro, de 22 anos, deverá voltar para o Chipre, pois o seu empréstimo terminou.

O jogador alinhou três épocas na Naval, depois de militar no FC Porto B.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.