Foi a segunda vitória consecutiva e a quarta partida sem perder do Paços de Ferreira, enquanto o Vitória de Guimarães somou a segunda derrota seguida e não aproveitou o desaire caseiro do Sporting para se aproximar dos lugares que dão acesso às competições europeias.

O Vitória de Guimarães deve queixar-se de si próprio, porque foi demasiado ineficaz na concretização, ainda que algo infeliz também (enviou duas bolas aos ferros da baliza adversária), e ainda da excelente exibição do guarda-redes do Paços de Ferreira, Coelho, que impediu vários golos.

Os primeiros lances de perigo pertenceram à equipa da casa, com remates de Marquinho (02 e 17) e Custódio (12) a colocar à prova Coelho, que substituiu Cássio na baliza dos forasteiros.

Não espantou, por isso, que o Vitória se adiantasse no marcador, aos 17 minutos: canto de Fábio Felício da direita e Valdomiro a saltar mais alto que todos e, de cabeça, a fazer o primeiro da partida.

Mas, a vantagem vimaranense não durou muito tempo porque, aos 25 minutos, Ozeia, na transformação de um livre directo, enviou uma “bomba” que só parou no fundo das redes de Nilson, que pareceu estar ainda a comandar a barreira.

Apenas cinco minutos depois quase se repetia o lance do golo do Vitória, mas, desta fez, a cabeçada de Valdomiro, após canto de Fábio Felício, embateu nas malhas laterais.

Continuava a pertencer aos vitorianos a iniciativa atacante e, aos 35 minutos, o golo voltou a estar perto, mas o cabeceamento de Custódio, que se antecipou a Coelho, embateu no poste.

O Paços de Ferreira procurava responder em rápidos contra-ataques, mas foi novamente num lance de bola parada (45 minutos) que esteve perto de marcar: livre de Manuel José, defesa de Nilson para a frente e Filipe Anunciação falhou a recarga.

A segunda parte começou com um “tiro” de João Alves à barra (51 minutos), mas seria o Paços de Ferreira a marcar (59): remate cruzado de Manuel José a obrigar Nilson a defesa apertada, mas a bola sobrou para Maykon que, em posição legal, “fuzilou” a baliza vitoriana.

Logo a seguir, aos 61 minutos, Douglas, de cabeça, desperdiçou uma excelente oportunidade e, aos 68, Valdomiro, também de cabeça, quase empatou a partida, mas Coelho negou-o com uma grande defesa.

O jogo esteve parado alguns minutos, para assistência ao guarda-redes do Paços de Ferreira, mas mal se reiniciou Coelho teve uma excelente intervenção, negando autenticamente o golo a Nuno Assis (76).

O Paços de Ferreira abdicou de contra-atacar e só “dava” Vitória: recém-entrado, Carlitos chutou muito por alto, em excelente posição (83 minutos), Custódio não conseguiu ultrapassar Coelho já na pequena área (90+1) e Manuel José tirou em cima da linha o cabeceamento de Douglas (90+7).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.