O presidente da SAD do Desportivo de Chaves, Francisco José Carvalho, afirmou hoje que o clube da II Liga portuguesa de futebol reduziu em 20% o seu orçamento, mas mantém o objetivo da subida ao escalão máximo.

“Com um orçamento menor, vamos tentar fazer melhor do que na época passada, ou seja, chegar à I Liga”, disse durante o primeiro dia de treinos da época 2015/16.

Francisco José Carvalho, um dos filhos do investidor do clube de Trás-os-Montes, que em 2011 esteve prestes a “fechar portas” devido a um processo de insolvência, diz estarem reunidas “todas” as condições para chegar à I Liga porque o plantel e o treinador têm “muita qualidade”.

“É um campeonato longo, competitivo, difícil, por isso, não podemos prometer a subida, mas podemos prometer que vamos lutar por ela”, salientou.

No primeiro treino da nova temporada, sob o comando técnico de Vítor Oliveira, que rendeu Carlos Pinto, marcaram presença 29 jogadores, entre os quais 11 reforços, 12 jogadores que transitaram da época passada e seis ex-juniores que irão fazer a pré-época com a equipa principal, mas o plantel ainda não está “completamente fechado”.

“Estamos a constituir um plantel bom, equilibrado, com muita experiência de divisão de honra e utilização do ano anterior, mas ainda precisamos de mais um ou dois jogadores”, afirmou Vítor Oliveira.

O técnico, apesar de não fazer promessas, realçou que ambiciona colocar o Desportivo de Chaves no escalão máximo do futebol português.

As ‘caras novas’ partilham o foco no objetivo da subida à I Liga, prometendo “trabalho, empenho e dedicação”.

António Filipe, que esteve seis épocas ao serviço do Paços de Ferreira, afiançou que todos os jogos vão ser “uma luta” para chegar ao topo da tabela classificativa.

“Gosto de estar nas melhores equipas, gosto de trabalhar e quero, sobretudo, subir de divisão”, realçou.

O defesa Diogo Coelho, que chega por empréstimo do Nacional, caracterizou o projeto flaviense como “ambicioso”.

“Subir era a cereja em cima do bolo”, considerou.

Partilhando a mesma opinião, o luso-francês Ludovic (ex-Santa Clara) frisou que o clube tem estado a evoluir “muito” nestes últimos anos, por isso, acredita que a subida é possível.

“Temos tudo para fazer um bom campeonato”, garantiu.

Vindo do Moreirense, o médio Diogo Cunha explicou que subir de divisão “nunca é fácil”.

“Gosto de trabalhar com o Vítor Oliveira porque tem pulso forte”, revelou.

Barry, que faz a sua terceira época consecutiva com as cores azul-grená, adiantou já ter recuperado da desilusão da época passada.

“A época está a ser bem estruturada e os erros do passado foram corrigidos”, frisou.

O Desportivo de Chaves realiza o estágio em Melgaço, distrito de Viana do castelo, entre 13 e 18 de julho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.