Na primeira volta da primeira liga em 2015/2016 já se contam sete trocas de treinadores. Só no banco do Tondela já se sentaram três treinadores na primeira parte da temporada.

A saída mais mediática foi naturalmente a de Julen Lopetegui do comando técnico do FC Porto (16ª jornada). O técnico basco chegou com muitas ideias de rotatividade que nunca conseguiram potenciar ao máximo a equipa azul-e-branca. Saiu do Dragão sem brilho, ao não ter conquistado um único troféu.

Fazendo o comparativo com a temporada passada, ao cabo de 17 rondas na Liga Portuguesa, 2015/2016 tem sido mais madrasto com os treinadores.
Logo na 5ª jornada, dois técnicos abandonaram o banco das respetivas equipas. José Viterbo (Académica) e Armando Evangelista (V.Guimarães) nem chegaram à aquecer o banco. À 7ª jornada, o Tondela inaugurou "as chicotadas" com o abandono de Vítor Paneira. Entre a 11ª e a 13ª jornada registaram-se três saídas consecutivas: Petit no Boavista, Rui Bento (segunda saída no Tondela) e Sá Pinto no Belenenses.

Em 2014/2015, no dobrar na primeira parte do campeonato de assinalar apenas duas saídas. Primeiro foi a de João de Deus que esteve no banco do Gil Vicente apenas durante três jornadas. É atualmente o técnico do Sporting B. A outra chicotada aconteceu no Penafiel. Ricardo Chéu ficou quatro jornadas no Penafiel.

Chicotadas na primeira volta em 2015/2016

José Viterbo Académica 5ª J

Evangelista V. Guimarães 5ª J

Vítor Paneira Tondela 7ª J

Petit Boavista 11ª J

Rui Bento Tondela 12ª J

Sá Pinto Belenenses 13ª J

Lopetegui FC Porto 16ª J

Chicotadas na primeira volta em 2014/2015

João de Deus Gil Vicente 3ª J

Ricardo Chéu Penafiel 4ª J

Chicotadas na primeira volta em 2014/2015

João de Deus Gil Vicente 3ª J

Ricardo Chéu Penafiel 4ª J

Veja a galeria

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.