"Foi decidido que nenhum clube com salários em atraso a Maio de 2009 poderá disputar as competições profissionais na época 2009/10", referiu Hermínio Loureiro, presidenta da LPFP. "Vamos proceder a alterações regulamentares que tornam claras estas regras".

Ainda segundo Hermínio Loureiro, a simples apresentação de um PEC (Procedimento Extra-judicial de Conciliação) não permitirá iludir como até aqui os regulamentos e assegurar a participação nas competições.

"Até hoje a simples intenção de recorrer ao procedimento extra-judicial de conciliação junto do IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação era norma habilitante para participar nas competições profissionais. Hoje, o que foi aprovado na generalidade foi que a partir de agora é necessário a confirmação de uma certidão do acordo entre a administração fiscal e a segurança social", adiantou o dirigente máximo da Liga.

Estas medidas terão agora de ser aprovadas em Assembleia Geral, mas Hermínio Loureiro está confiante que serão ratificadas pelos clubes.

"Considero uma derrota pessoal se não forem aprovadas estas medidas. No entanto, estou confiante que isso não vai acontecer", confessou. Quanto ao risco dos campeonatos profissionais perderem clubes, Hermínio Loureiro foi taxativo: "É um risco que teremos de correr, mas maior risco é não credibilizarmos o futebol".

Caso haja clubes a não cumprirem com estes pressupostos, ainda não está definida a forma como serão substituídos nos referidos campeonatos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.