Manuel Gomes, presidente do Grijó e porta-voz de 12 dos 13 adversários do Canelas na Série 1 da Divisão de Elite do distrital do Porto, garantiu que os clubes estão irredutíveis na decisão de não defrontar mais os gaienses.

O dirigente esclareceu, em declarações à agência Lusa, que "os problemas do Canelas arrastam-se há anos e com grande gravidade".

"Este ano verificou-se que continuavam com o mesmo comportamento. Nesse sentido, todos os presidentes insatisfeitos com esta situação reuniram-se e entenderam que deveria ser feita alguma coisa para acabar com isto. Fazer algo em prol da verdade desportiva", começou por explicar Manuel Gomes que garantiu ainda que, à exceção do Candal, nenhum clube vai voltar a jogar com o Canelas 2010.

A decisão de não disputar os jogos com o Canelas já foi comunicada à Associação de Futebol do Porto, sendo, nesse caso, obrigados a pagar uma multa de 750 euros. Mas nem isso faz os clubes voltaram atrás na decisão.

"A Associação de Futebol do Porto fez tudo para evitar o que tem acontecido, desde policiamento reforçado, árbitros do nacional, delegados em número bastante elevado nos jogos do Canelas. Até o próprio presidente foi assistir aos jogos, mas as coisas continuam iguais", referiu o presidente do Grijó.

O dirigente reforçou que "os clubes decidiram não comparecer aos jogos”, por sentirem que não têm condições, pois “há coação, intimidação, os árbitros não sentem coragem para escrever relatórios, para contar o que verdadeiramente se passa em campo".

Manuel Gomes explicou ainda que a reunião anunciada pelo Canelas em conferência de imprensa entre todos os clubes e a AFP para tentar resolver a situação nunca esteve para acontecer.

"O presidente do Canelas 2010 disse que tinha uma reunião marcada para esta sexta-feira com todos os clubes e com o presidente da AFP. Mas isso é mentira. Fomos contactados quinta-feira à noite nesse sentido e a maior parte não tinha disponibilidade", esclareceu.

O dirigente garante que os clubes não estão satisfeitos com "esta medida radical", mas considera que é o único caminho para acabar com "o clima de terror" que se vive na prova.

"Acontecem coisas gravíssimas e nem sei como é que até hoje ainda não houve uma tragédia. Para já estamos irredutíveis na nossa decisão. Penso que os jogadores e dirigentes do Canelas 2010 devem fazer uma autoavaliação e ver o que está mal e o que têm que mudar", finalizou.

Entretanto, já foi anunciada a lista de nomeações dos árbitros para os jogos deste fim-de-semana da Divisão de Elite e não consta qualquer nomeação para o jogo do Canelas, em casa, com o Maia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.