Artur Torres Pereira deu esta sexta-feira uma conferência de imprensa para comunicar a posição do Sporting sobre a providência cautelar de Bruno de Carvalho.

"Como é do conhecimento publico, o ex-presidente e os ex-membros do Conselho Diretivo do SCP foram destítuidos pelos sócios em Assembleia Geral em 23 de junho por 71,36% dos votos. sendo essa decisão imediata e integralmente implementada", disse Torres Pereira.

"No passado dia 1 de agosto, o Sporting foi citado para tomar posição quanto a uma providência cautelar apresentada em Tribunal pelo ex-presidente destituído pelos sócios, na qual é pedida a suspensão da deliberação social adoptada naquela assembleia destitutiva. Ao dia de hoje, encontra-se ainda a decorrer o prazo para a dedução de oposição por parte do Sporting, não tendo sido proferida qualquer decisão pelo tribunal".

"O ex-presidente compareceu hoje nas instalação alegando ter em sua posse tal decisão judicial. Analisada e conferida a documentação nas instalações do clube, concluí-se afinal ser tudo mentira, porque não existia nem existe qualquer fundamento ou decisão judicial que suspenda a deliberação tomada pelos sócios na Assembleia Geral de 23 de junho e que permita ao ex-Presidente por eles destituído reassumir as anteriores funções", disse.

"Tendo ex-presidente recusado retirar-se das instalações, mesmo depois de comprovado que o que trazia era uma mão cheia de nada e a outra de coisa nenhuma, foi pedida a intervenção da PSP, que garantiu a sua saída", explicou Torres Pereira.

"Lamentamos e repudiamos profundamente este episódio, que para mais teve lugar precisamente na véspera de primeiro jogo em Alvalade na I Liga, e no decurso de ato eleitoral. Já estamos habituados a atitudes de desprezo do ex-presidente pelos sócios e clubes", prosseguiu.

"Hoje foram todos os limites ultrapassados. Num momento crucial da vida do Clube que tenta recompor-se dos desvarios e dos erros do ex-presidente, este revelou continuar a ser foco de confusão, de perturbação e de desestabilização, colocando interesses pessoais à frente do Sporting, mentiu em manifestação de irresponsabilidade que não se pode permitir. Apoiantes que restam vão abandonado aos poucos", atirou.

"O ex-presidente semeia guerra quando precisamos de paz. Quando mais a SAD precisa de tranquilidade, mas ele tenta desestabilizar. Esclarecemos todos que até a 8 de setembro, haja o que houver, o presidente de Mesa da Assembleia Geral é Jaime Marta Soares, o presidente da Comissão de Gestão é Artur Torres Pereira, o presidente da SAD é Sousa Cintra e o presidente do Conselho de Fiscalização é Henrique Monteiro", finalizou.

Bruno de Carvalho disse hoje que um juiz suspendeu a decisão de revogação do seu mandato de presidente do Sporting, determinada na Assembleia Geral (AG) do clube realizada em 23 de junho.

"Apresentámo-nos para retomar as nossas funções. Havendo resistência e oposição a isso, faremos o que a lei nos coloca ao nosso alcance. A nossa equipa de advogados e juristas tratará disso, evidentemente", afirmou Bruno de Carvalho, depois de ter estado cerca de três horas no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Bruno de Carvalho diz que o clube foi citado em 01 de agosto da decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, decorrente uma providência cautelar por si interposta, um dia antes de ter sido decidida a sua suspensão de sócio por um ano, pela comissão de fiscalização.

"A justiça declarou ser ilícita [a decisão da AG], o que significa que o Sporting nada pode fazer a não ser receber-me de volta como presidente do clube e da SAD", referiu Bruno de Carvalho.

Eleito presidente do clube em março de 2013 e reconduzido em 2017, Bruno de Carvalho foi destituído do cargo na reunião magna de junho, com 71,36% dos votos, e posteriormente suspenso de sócio pela Comissão de Fiscalização, criada na sequência da demissão da maioria dos membros do Conselho Fiscal e Disciplinar.

Na sequência da decisão, foram convocadas eleições para os órgãos sociais do clube, para 08 de setembro, e Bruno de Carvalho viu a sua candidatura rejeitada pela Mesa da Assembleia Geral, com base no facto de o ex-presidente estar suspenso.

João Benedito, José Maria Ricciardi, Pedro Madeira Rodrigues, Frederico Varandas, Rui Jorge Rego, Dias Ferreira e Fernando Tavares Pereira são os candidatos cujas listas foram validadas.

Os destinos do Sporting têm estado a cargo de uma comissão de gestão liderada por Artur Torres Pereira, nomeada pela Mesa da Assembleia Geral presidida por Jaime Marta Soares, enquanto José Sousa Cintra, antigo presidente, foi designado para administrador da sociedade que gere o futebol profissional (SAD).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.