Na antevisão do jogo com o Marítimo, da 26.ª jornada da Primeira Liga, Sérgio Conceição deixou alguns reparos à organização dos encontros à porta fechada mas também aos árbitros. O treinador do FC Porto, que viu a sua equipa perder na retoma do campeonato, quase três meses depois da paragem devido a pandemia de COVID-19, pede que os árbitros sejam mais duros a penalizarem as perdas de tempo das equipas teoricamente mais fracas.

"Os apanha-bolas estão distanciados entre 75 a 100 metros... vejam o tempo que não se perde para repor a bola em jogo. No último jogo a bola saiu e fiquei a olhar para o lado e até fiquei aborrecido com um elemento do banco do Famalicão. Há quatro apanha bolas para o relvado todo. Faço um pedido aos árbitros: não quero cartões amarelos aos 90+2 minutos... É perda de tempo. Há situações dentro do jogo que são mais graves que um penálti ou uma jogada do género. Há três jogadores do Famalicão que deviam ter sido expulsos. Ninguém fala disso. Vejo na imprensa escrita a pontuação dos árbitros e o nosso foi o que teve menos. Se calhar podia ter havido dois ou três penáltis para nós e um para o Famalicão", afirmou o técnico, pouco tempo depois de abordar a questão dos jogos à porta fechada.

"Os jogos à porta fechada fazem lembrar os de pré-época quando defrontamos equipas de 2.ª ou 3.ª divisões. Vamo-nos apercebendo que é difícil jogar contra um adversário onde não há o ambiente e atmosfera que os jogadores estão habituados há anos. E há diferenças entre quem joga para assumir as despesas do jogo e quem joga para outro resultado", analisou.

Esta quarta-feira, o FC Porto defronta o Marítimo em casa e jogará sem público no Dragão pela primeira vez. Uma situação que desagrada e muito a Sérgio Conceição, para quem há condições para se ter público nas bancadas.

"As equipas teoricamente mais fortes acabam por ter esse favoritismo. Para ter favoritismo é preciso demonstrá-lo durante 90 minutos. Acredito que, por exemplo amanhã, entrar com 45 mil pessoas ou 50 mil pessoas... entrar sem público é sempre pior. O público é uma mais-valia. Mas temos de aceitar a realidade. Se me perguntarem, acho que há condições para ter público nos estádios mas aí entrava noutra discussão e não quero desviar a atenção do jogo de amanhá. Lamentamos a falta de público, mas temos de jogar sem ele", atirou.

O FC Porto, líder da Primeira Liga, a par do Benfica, recebe esta quarta-feira o Marítimo, na 26.ª jornada da prova, num jogo agendado para às 21h30, no Dragão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.