O plantel do Desportivo das Aves vai retomar os treinos no relvado na segunda-feira, de forma individualizada, devido à pandemia de COVID-19, confirmou hoje à agência Lusa fonte do último classificado da I Liga de futebol.

Os nortenhos aproveitarão o fim do terceiro período de 15 dias de estado de emergência no sábado para voltar à atividade no campo, ainda que com redobradas indicações de distanciamento entre os jogadores, quase um mês e meio após a suspensão do campeonato, que será reatado à porta fechada a partir de 30 e 31 de maio.

Cada atleta recebeu um horário específico para ir equipado da respetiva residência e treinar durante uma hora num espaço individualizado, repartido entre o relvado principal do Estádio do CD Aves e um tapete de apoio junto ao pavilhão do clube, sendo acompanhado em simultâneo por mais dois companheiros de equipa.

Os jogadores serão vigilados por um elemento da equipa técnica liderada por Nuno Manta Santos e outro do corpo médico às ordens de Filipe Puga, sempre munidos de material de proteção individual, regressando a casa sem passarem pelos balneários, num plano que evoluirá para treinos coletivos e testes de despistagem na segunda metade de maio.

O plantel avense cumpriu 20 dias de férias intercalados com o confinamento social imposto pelo novo coronavírus e regressou aos treinos caseiros na segunda-feira, três dias antes de o Governo autorizar a retoma da I Liga no final do mês, no âmbito do plano de desconfinamento da pandemia de COVID-19.

Poucas horas depois, o clube esteve reunido para reanalisar questões relacionadas com os contratos e a segurança dos atletas no regresso do campeonato, que tinham sido levantadas no início da semana numa conversa entre os administradores da SAD liderada pelo chinês Wei Zhao, os departamentos médico e jurídicos, a equipa técnica e os capitães, em representação dos futebolistas do emblema de Santo Tirso.

O Desportivo das Aves pediu esclarecimentos à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e à Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) através de carta, sendo certo que a retoma da I Liga ainda está sujeita à aprovação por parte da Direção-Geral da Saúde (DGS) de um plano sanitário apresentado ao Governo pela LPFP.

Fonte dos avenses afirmou à agência Lusa que o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol já foi confrontado por alguns futebolistas sobre as dúvidas levantadas na missiva dirigida à FPF e à LPFP, mas terá ignorado as questões.

O Desportivo das Aves tem atravessado uma série de contrariedades desportivas, diretivas e financeiras desde agosto e falhou há quase um mês a regularização salarial de atletas e jogadores referente ao período entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020.

A SAD justificou as dívidas com a paralisação da atividade económica na China, motivada pela COVID-19, mas o processo seguiu da LPFP para o Conselho de Disciplina da FPF em 03 de abril, cinco dias antes de os dois primeiros meses do ano começarem a ser pagos.

Mesmo assim, o guarda-redes francês Quentin Beunardeau e o avançado brasileiro Welinton Júnior rescindiram os vínculos com os avenses, que podem perder dois a cinco pontos, face aos 13 somados em 24 jornadas da I Liga, nove abaixo da zona de salvação.

A administração e os jogadores continuam em conversações para tentar firmar um acordo salarial relativo aos últimos dois meses, numa altura em que o pagamento dos ordenados de março já venceu e a liquidação de abril está aprazada para a próxima semana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.