O Sporting voltou hoje a treinar na Academia de Alcochete, numa sessão em que o plantel foi dividido em vários grupos nos dois relvados destinados à ala profissional, já depois de ser testado.

Na sessão, o treinador Rúben Amorim não contou ainda com o avançado Luiz Phellyppe, a recuperar de lesão, e chamou Matheus Nunes, Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, Joelson Fernandes, Tiago Tomás e Gonçalo Inácio, da equipa de sub-23.

O Sporting informou que a equipa manteve as distâncias de segurança e que, a anteceder a sessão, todos os jogadores, equipa técnica e ‘staff’ “foram sujeitos a testes de despistagem”, estando todos em condições de frequentar o espaço.

“Estes procedimentos de segurança e de trabalho vão continuar por tempo indeterminado”, adiantou o clube, em relação ao controlo necessário face à pandemia do novo coronavírus, que obrigou à suspensão do campeonato.

O treino de hoje teve exercício isolado, mas também contactos com bola, numa sessão ilustrada na página do clube com Battaglia, Wendel, Luís Neto, Francisco Geraldes, Luís Maximiano, o treinador, Rúben Amorim, ou o presidente, Frederico Varandas, presente na sessão.

Em 20 de abril, a equipa já tinha estado em Alcochete, então de forma ainda mais isolada e em trabalho individual, com dois jogadores em cada um dos relvados do complexo desportivo.

Na I Liga, o Sporting segue em quarto lugar, a dez jornadas do final, com 42 pontos, a 18 do líder FC Porto (60 pontos), e ainda atrás de Benfica (59) e Sporting de Braga (46,) antigo clube de Rúben Amorim.

O ex-futebolista e atual treinador assinou pelo Sporting no início de março, disputando apenas um jogo, na vitória leonina em casa diante do Desportivo das Aves (2-0).

Portugal juntou-se a Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália entre os países que ensaiam o regresso dos campeonatos nacionais de futebol, ao contrário do ocorrido em França e nos Países Baixos, que cancelaram as competições.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.063 pessoas das 25.524 confirmadas como infetadas, e há 1.712 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.