O treinador do Boavista, Daniel Ramos, disse hoje que o próximo objetivo é “fazer 41 pontos", o que implica vencer o Marítimo na quarta-feira, em partida relativa à 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Na antevisão desse jogo em casa com os madeirenses, o técnico afirmou que a sua equipa não persegue qualquer objetivo em termos classificativos. "Queremos ir à procura do melhor e isso vem jogo a jogo. Temos 38 pontos e o próximo objetivo é fazer 41, que é aquilo que nos permite o jogo que se segue", resumiu.

A meta seguinte passa por "somar o máximo de pontos possíveis nestes quatro jogos" que restam até ao fim da época e isso pressupõe motivar a equipa "da mesma forma que se motiva para o primeiro jogo, com trabalho diário, seriedade, objetivos de conquista, permanente exigência".

"Todos têm uma responsabilidade a cumprir, que é dar o máximo até ao último jogo, seja qual for o adversário e sem que haja qualquer tipo de relaxamento", salientou Daniel Ramos.

O treinador do Boavista destacou ainda que, desse modo, pode haver valorização individual e resultados.

Daniel Ramos treinou o Marítimo nas épocas 2016/17 (parcialmente) e 2017/18 e, questionado sobre se essa experiência ainda pode ser útil para o encontro de quarta-feira, disse que hoje "tudo é diferente, porque já vai algum tempo".

"Conheço vários jogadores [do Marítimo]. O Marítimo é daquelas equipas que tem valor para estar melhor posicionada na tabela classificativa e não estranho nada estas duas vitória que lhe vieram trazer mais tranquilidade. É uma boa equipa, perspetivo um bom jogo e vamos procurar vencê-lo", afirmou.

O técnico frisou também que "não houve muito tempo" para preparar este encontro: "Fizemos um jogo às 21:15 [com o Benfica, no Estádio da Luz, em 04 de julho], chegámos às quatro da manhã a casa e temos de jogar quatro dias depois".

Daniel Ramos prosseguiu o seu reparo ao calendário da fase final do campeonato, que foi reformulado devido às restrições impostas pela covid-19, notando que o Boavista vai a Portimão, na jornada a seguir a esta, para medir forças com a equipa local, e terá de fazer "uma viagem de sete horas, com chegada às cinco ou às seis da manhã a casa e jogo quatro dias depois.

"Devia haver mais alguma cautela na marcação de jogos", considerou, porque "o jogo mais a deslocação traz um grande desgaste à equipa”. "É recuperar para jogar, nesta fase", observou.

Daniel Ramos volta a poder contar com o médio ganês Ackah, que cumpriu castigo na ronda anterior, e com o ala Heriberto, o qual não foi opção para o encontro frente ao Benfica por se encontrar emprestado por este clube.

Fabiano Leismann tem estado lesionado, hoje treinou "e não sentiu qualquer tipo de limitação, o que é um bom indicador" e Lucas Tagliapietra, que falhou o embate com o Benfica devido a queixas físicas durante o aquecimento, ainda não está a 100%, mas "vai entrar na convocatória" para o encontro com o Marítimo.

O Boavista, 10º classificado, com 38 pontos, e o Marítimo, 12.º, com 34, defrontam-se na quarta-feira, numa partida da 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol marcada para as 19:00, no Estádio do Bessa, no Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.