Em entrevista à RTP, o presidente da Liga de Clubes reclama que a decisão do Conselho de Justiça da FPF (Federação Portuguesa de Futebol) de reverter o ato eleitoral que reconduziu Mário Figueiredo à presidência da Liga de Clubes.

“O Conselho de Justiça da FPF não tem competência para decidir sobre a matéria e portanto as suas decisões são ilegais. Os próprios juízes sabem isso, no fundo está a ser uma solução de ultimo recurso. Não me posso conformar com uma decisão destas, compete aos tribunais e não ao Conselho de Justiça decidir sobre esta matéria”, declarou.

Recorde-se queMário Figueiredo concorreu sozinho porque o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga, Carlos Deus Pereira, rejeitou as candidaturas de Rui Alves e Fernando Seara, alegando que estas não apresentaram candidatos a todos os órgãos sociais da Liga.

Nesse sentido, o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Mário Figueiredo, interpôs uma providência cautelar para travar os acórdãos do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol que obrigam à repetição das eleições na Liga. Neste momento vive-se um impasse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.