O delegado da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) no Benfica-Nacional da última época foi suspenso por 18 meses, devido à "falsificação" do relatório do jogo. A decisão foi hoje anunciada pela Comissão Disciplinar, em virtude do comportamento do delegado João Pedro Simões Dias, que "intencionalmente" não referiu a postura de Nuno Gomes, que viria a ser punido pelo árbitro Pedro Henriques com dois jogos de castigo e multa de mil euros por "factos ocorridos no jogo e infracção disciplinar". O encontro ficou marcado por um golo anulado ao Benfica nos últimos minutos, com a partida a terminar empatada (0-0).

"Tal delegado presenciou, após o jogo, no túnel de acesso aos balneários e junto da equipa de arbitragem, comportamentos injuriosos de agentes desportivos e tais comportamentos lhe foram comunicados pela mesma equipa de arbitragem", adianta o acórdão da Comissão Disciplinar da Liga.

Entretanto, a Comissão Disciplinar da Liga arquivou o processo instaurado ao árbitro Duarte Gomes, por se ter verificado "causa de exclusão da culpa" do juiz lisboeta, num incidente com o preparador físico do Sporting, antes do encontro com o Vitória de Setúbal, na época passada.

O organismo castigou ainda o presidente da União de Leira, João Bartolomeu, com um mês de suspensão e uma multa de 500 euros devido à "falta de comparência para prestação de declarações".

Já os três processos em curso que envolvem o Boavista (dois pelo comportamentos do adeptos e outro devido a declarações do presidente Álvaro Braga Júnior) foram remetidos para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, por que o clube está actualmente inserido nas competições desse organismo (2.ª Divisão).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.