Promovido pelo projecto Chapéu de Esperança e patrocinado pelo Banif, o "jogo solidário" foi tema de uma conferência de imprensa realizada em Caracas com representantes das duas equipas madeirenses, no âmbito das celebrações do 10.º aniversário do semanário de expressão portuguesa Correio da Venezuela.

Em declarações à Agência Lusa, o presidente do Nacional, Rui Alves, disse ter a expectativa de que "este evento seja marcante na comunidade", aproveitando o facto de o futebol ter "esta capacidade de mobilização de pessoas e de paixões e emoções" para que a comunidade se sinta muito próxima dos seus clubes.

"Ficaria muito satisfeito se no próximo ano os clubes proporcionassem a toda a comunidade momentos únicos de confraternização e de vivência", vincou Rui Alves, que apelou "aos portugueses para estarem presentes" e à organização para que "não ponha preços muito caros".

O presidente do Conselho Fiscal do Marítimo, Rui Adriano Ferreira de Freitas, explicou que se tratará "de um grande jogo, um jogo de solidariedade entre duas equipas da Região Autónoma da Madeira".

Por outro lado sublinhou que "existe um protocolo estabelecido entre estas três entidades (...) e como tal advém das regras do contrato estabelecido entre estas três instituições a realização de jogos em nome da solidariedade".

Durante a celebração do 10.º aniversário do Correio da Venezuela, o director do Diário de Notícias do Funchal, José Betencourt da Câmara, explicou que o jogo é promovido pela organização do Chapéu da Esperança e anunciou que a receita "reverterá na totalidade para duas organizações luso-venezuelanas": o Lar da Terceira Idade Padre Joaquim Ferreira, de Caracas, e o Lar Geriátrico Luso-venezuelano, de Maracay.

Precisou que "o Banif já disponibilizou 30 mil Bolívares fortes para este jogo e para o Chapéu da Esperança".

Por outro lado, explicou que o Chapéu da Esperança é "uma organização que foi idealizada por todos os órgãos de comunicação social da Madeira, o Diário de Notícias, o Jornal da Madeira, a RTP, a RDP, a TSF e o Posto Emissor".

O projecto, disse, consiste em apoiar organizações de apoio a crianças em dificuldades, associações de luta contra o cancro ou sida, bem como a associação portuguesa de paralisia cerebral e escolas.

"O projecto já tem três anos e o Banif tem apoiado muito esta organização, através do Troféu Banif Solidário. Fruto da parceria e do patrocínio que o Banif tem ao Marítimo e ao Nacional, realiza um jogo por ano e as receitas vão todas para o Chapéu de Esperança, que as distribui por essas organizações", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.