O treinador do Marítimo recusou hoje que o dérbi com o Nacional, no sábado, da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, tenha "caráter decisivo" para a sua equipa, apesar dos quatro pontos que a separam do rival.

Mesmo reconhecendo que uma derrota frente ao Nacional colocará a sua equipa numa posição difícil face ao objetivo de qualificação europeia, o treinador dos "verde-rubros" alega que o calendário até ao fim do campeonato "é difícil para ambos" os conjuntos.

"Estamos numa posição que nos permite atingir um lugar europeu e sabemos também que se não vencermos na Choupana as coisas ficam muito mais difíceis, mas não é um jogo decisivo, visto que o calendário de uma e outra equipa não é fácil", argumentou Pedro Martins, à margem de uma ação solidária levada a cabo hoje pelo clube.

Conhecendo bem o potencial do adversário, Martins reconhece que o Marítimo terá de jogar no seu melhor no Estádio da Madeira para conseguir os seus propósitos.

"Teremos que fazer um bom jogo, a equipa terá que ser inteligente e controlar-se bem emocionalmente, caso contrário ficará muito difícil vencer o Nacional", destacou.

O treinador do Marítimo considera que, "quem cometer menos erros e se apresentar mais tranquilo, terá vantagem e mais possibilidades de vencer o jogo".

"O coletivo terá que transcender-se, já que vamos defrontar uma boa equipa, que está ao nosso nível", afirmou.

O Marítimo, sétimo classificado com 34 pontos, defronta no sábado o Nacional, quinto colocado com 38, em jogo da 27.ª jornada da I Liga que será arbitrado pelo albicastrense Carlos Xistra.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.