Cerca de 30 funcionários do Sporting vão ser alvo de um despedimento coletivo de forma a assegurar a viabilidade financeira do emblema de Alvalade, avançou hoje fonte oficial do clube à agência Lusa.

De acordo com a mesma fonte, cerca de 30 funcionários do clube já aceitaram a rescisão amigável do contrato que mantinham com o clube, estando abrangidos pela figura do despedimento coletivo outros 30.

O presidente do Sporting Bruno de Carvalho esteve numa reunião com todos os funcionários que iriam ser dispensados, explicando as razões que o levaram a tomar a decisão.

Para Bruno de Carvalho, de acordo com a mesma fonte, a medida foi tomada no curso do programa de reestruturação do clube, tendo em conta a viabilidade e sustentabilidade financeira do Grupo Sporting no futuro e de forma a assegurar os restantes postos de trabalho do grupo.

A mesma fonte garantiu à Lusa que os procedimentos estão a ser realizados de acordo com os trâmites legais, sendo os trabalhadores acompanhados por especialistas do direito de trabalho, de forma a assegurar que tudo aquilo a que têm direito está assegurado.

A SAD do Sporting anunciou, a 31 de maio, um prejuízo de 29,7 milhões de euros (ME) relativo aos primeiros nove meses do exercício de 2012/13 e um crescimento do passivo para 249 ME.

Na prestação de contas do terceiro trimestre enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Sporting mostra resultados negativos 29,76 ME, a 31 de março de 2013, menos 3,9 por cento do que em igual período do ano passado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.