A polícia boliviana deteve hoje o presidente da Federação Boliviana de Futebol (FBF), Carlos Chávez, igualmente tesoureiro da Confederação Sul-americana (Conmebol), revelou a procuradoria local, que acusa aquele dirigente de corrupção.

Chávez foi detido na cidade de Sucre, capital constitucional da Bolívia e sede do poder judicial, depois de ter respondido durante oito horas perante uma comissão de fiscais que investiga atos de corrupção no seio da FBF, ainda de acordo com um comunicado da procuradoria.

Segundo alguns órgãos de informação locais, foi igualmente detido o secretário executivo da federação, Alberto Lozada.

O presidente da FBF tinha sido citado para prestar declarações em junho passado, mas uma reunião do Conmebol no Paraguai e a Copa América, disputada recentemente no Chile, obrigaram ao adiamento.

A procuradoria boliviana abriu a investigação sobre supostos atos de corrupção na forma como foram manejados recursos económicos, que entraram no país através da FBF depois de ter estalado o escândalo de subornos na FIFA, atualmente em investigação nos Estados Unidos.

Chávez preside à FBF desde 2006 e já foi reeleito duas vezes, em 2010 e em 2014, sempre no meio de polémicas e disputas com outros dirigentes.

A sua gestão foi muito criticada pelo presidente do país, Evo Morales, um declarado adepto de futebol, que já pediu várias vezes a demissão daquele dirigente da FBF.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.