Luís Filipe Vieira não poupou praticamente ninguém na longa entrevista que concedeu na noite de segunda-feira à CMTV. O antigo presidente do Benfica falou do processo judicial em que se encontra envolvido, clamando a sua inocência, e não se coibiu de criticar a atual presidência de Rui Costa, com quem confessou estar magoado.

Vieira apontou ainda o dedo a Rui Pedro Braz e a João Malheiro, e falou ainda sobre 'dossiês' como os de Darwin ou Rúben Amorim. Escolhemos dez frases marcantes da referida entrevista.

Sobre a presidência de Rui Costa

- "O Rui Costa não é homem de decisão firme, para decidir precisa de muito tempo. É o perfil. Enquanto eu chegava ao gabinete e dizia, já está.

- "Magoou-me bastante! Deu instruções a dois fisioterapeutas para não irem mais a minha casa. Como se fosse possível irem lá dar-me informações...Há uma caça às bruxas. Quando me dizem 'não digas nada que falaste comigo'... Andam a fazer isto. Quando um líder tem medo do ex-líder..."

Sobre a não contratação de Rúben Amorim

- "O único erro do Rúben Amorim foi não ter falado comigo, eu estava no Seixal. Disseram-lhe como o Benfica trabalhava e na cabeça dele não fez sentido. Quando me telefonou já tinha assinado pelo Braga. Se fosse eu, tinha uma conversa séria com ele e exercia a cláusula de 30 milhões de euros. Trazia-o para o Benfica e estava pago no ano seguinte."

Sobre uma eventual nova candidatura à presidência do Benfica

- "Nunca mais voltarei a ser presidente do Benfica, O que se passou comigo, não posso esquecer o que fiz passar o meu filho, não posso esquecer! Mas para ajudar estou disponível!"

- "Se fossem as eleições amanhã tenho a convicção que as ganhava. Sei o que se passa na rua, como as pessaos falam comigo."

Sobre a possível venda de Darwin

- "Criticaram-me por ter pago uma fortuna por um gajo da segunda divisão. Havia muita gente que dizia que vender Félix por 60 ou 70 estava bem vendido. Saiu por 120. Comigo, o Darwin agora só saía pela cláusula de 150 milhões. O Benfica não deve vender Darwin. Ele é imprescindível".

Sobre vinda de Jesus e críticas a Rui Pedro Braz

- "Jesus foi aprovado por toda a gente. Agora parece que todos têm amnésia! A única pessoa que não queria Jesus foi Tiago Pinto, que foi o director-geral mais completo que tive.

- Ele [Rui Pedro Braz] andava a dizer aos empresários que Jesus já não era treinador do Benfica. Quando perde com o Sporting, Jesus foi vaiado. Tiraram-lhe o tapete. A seguir ao jogo com o Porto, quem disse [sobre Pizzi] 'deixem o homem desabafar' foi o Rui Pedro Braz. E ele sabia que havia adjuntos do Jesus."

A ausência na apresentação da biografia de Eusévio e críticas a João Malheiro

- "Além de não ter sido convidado, também não ia, também disse à Flora, mulher do Eusébio, que não devia ter estado. O Malheiro não era amigo do Eusébio. Fui a única pessoa que tratou com a dignidade que merecia."

Sobre a sua detenção

"De certeza absoluta que não roubei o Benfica. O Benfica se calhar roubou-me muito da minha vida familiar e empresarial. O MP quantifica a questão, diz que o Luís lesou o Benfica lesou em cerca de 2 milhões"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.