“Fala-se constantemente do Liverpool e do Chelsea, mas nunca sabemos em que clube iremos jogar", afirmou Dí Maria, em declarações citadas pelo “Sindh Today”.

Na opinião do internacional argentino, a sua possível saída, seja para que campeonato for, “dependerá sempre do presidente do Benfica”.

O extremo tem neste momento uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros repartida por três entidades: 70% pertence ao Benfica, 10% ao empresário Jorge Mendes e os outros 20% a um banco argentino.

O maior interessado na compra do jogador parece ser mesmo o Chelsea de Inglaterra que tem enviado emissários ao estádio da Luz para observar o jogador, quer no jogo com o Nacional, quer no jogo com o Everton.

Outro jornal britânico, The Sun, diz que Dí Maria é um jogador considerado prioritário pelo treinador do Chelsea, Carlo Ancelotti. E, nesse sentido, diz mesmo que caso o clube inglês consiga levantar a proibição de inscrever jogadores, de que foi alvo, o ‘cerco’ irá apertar-se em torno do argentino.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.