Diego Ângelo, que se transferiu neste defeso para o Génova e foi, depois, devolvido ao clube de origem, assinou contrato com os turcos até Dezembro, com cláusula de opção para a segunda parte da temporada.

O dirigente da Naval 1.º de Maio justificou o contrato por apenas seis meses pelo facto de o processo da transferência de Diego Ângelo para o Génova ir ser submetido à FIFA, que deverá tomar uma decisão até Dezembro.

“A Naval submeteu o caso à FIFA e está já a elaborar um processo pedindo responsabilidades e uma indemnização ao Génova, baseada no não cumprimento dos compromissos assumidos pela equipa transalpina”, referiu à Lusa o dirigente.

O jogador esteve em Itália, fez alguns jogos da pré-temporada pela formação transalpina, contudo acabou devolvido ao clube da Figueira da Foz sob o argumento de ser jogador não comunitário, pelo que não tinha lugar na equipa italiana

Refira-se que a lei italiana foi recentemente alterada, reduzindo os extracomunitários de dois para um por equipa.

Depois do eventual interesse manifestado por Sporting e Benfica no central brasileiro, a rápida contratação do jogador pela equipa turca acabou por constituir alguma surpresa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.