O FC Porto apresentou-se revigorado, veloz e ofensivo. Deverão ser estes os grandes valores que André Villas-Boas quererá imprimir nesta nova equipa, que hoje se apresentou aos sócios e adeptos. O bom futebol dos azuis e brancos só ficou manchado pelo golo dos italianos, fruto da inexperiência de Rafa.

O primeiro golo dos azuis e brancos nasceu nos pés de João Moutinho e terminou com a cabeça de Fernando. De bola parada, ao minuto 20, o ex-sportinguista Moutinho bateu o livre de forma exemplar e o brasileiro, dentro da grande área e no meio dos defesas italianos, "penteou" a bola e esta acabou dentro da baliza de Curci.

Quatro minutos depois, Hulk deixou todo o Estádio do Dragão de boca aberta. O brasileiro enviou, de pé esquerdo, uma bomba a meio do meio-campo e a bola só parou quando encontrou as redes da baliza italiana. Um grande golo de Hulk que colocou todos os colegas de equipa a aplaudir o número 12 do FC Porto.

O jogo atravessava o momento mais frenético e, depois do segundo golo portista, ao minuto 27, Rafa, ex-Académica, cortou a bola com a mão dentro da grande área e o árbitro Jorge Sousa assinalou grande penalidade a favor da Sampdoria. Na conversão, Antonio Cassano não falhou, diminuindo a desvantagem dos italianos.

Depois dos golos, o jogo desceu um pouco de ritmo, dando mais prioridade à posse de bola, mas o FC Porto nunca deixou de procurar o golo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.