Os seis candidatos à presidência no Sporting estiveram juntos num debate realizado na TVI 24, a três dias das eleições presidenciais. Bruno de Carvalho, finanças e futebol foram alguns dos temas abordados. Confira as principais ideias de cada um deles.

Frederico Varandas
Bruno de Carvalho
"Repor o Sporting na dignidade que o clube merece. Tive a coragem, dei o passo e o meu objetivo é devolver o clube aos sócios. Fi-lo sozinho enquanto alguns candidatos esperaram que Bruno fosse a votos. Obrigação que eu senti. Senti o clube a desmoronar".

Demissão do cargo de diretor clínico

"Senti um comboio a ir contra um penhasco. Saí da carruagem, mas não fugi. Fui para a casa das máquinas"

Finanças e participação na Liga dos Campeões 

"A minha equipa estimou cerca de 120 M€ de necessidades de tesouraria. Elencámos quatro ferramentas. Empréstimo obrigacionista até 60 milhões de euros, reestruturação do passivo bancário com a compra da divida com desconto, venda e mais valia de venda de jogadores e securitização do contrato da NOS. Não estamos a dizer que vamos usar as quatro mas os sócios tem de ter noção que usaremos isto. O Sporting teve no ano passado 100 milhões de necessidade de tesouraria, há dois anos 80, andamos nisto ciclicamente. O que preocupa são as receitas e não percebo porque é que não se discute isso. Como o Sporting não vence e como temos os rivais em anos seguidos na Champions, , nós vamos ocasionalmente, o gap aumenta e temos ciclicamente necessidades de tesouraria. O FC Porto não tem situação melhor que o Sporting, entrou no fair-play financeiro, adiantou 100 milhões do contrato da MEO e o que é? Campeão Nacional. O que significa? Nós depois somos campeões em reestruturações e os rivais ficam com os títulos. O futebol mudou. Se no ano passado era possível ficar fora da Champions, mas os nossos rivais ainda não começaram a jogar e já ganharam 43 M€. Ou o Sporting apanha o comboio… agora é irreversível. Uma vitória na Champions equivale a um ano inteiro de 'merchandising' no Sporting. Podemos ter o melhor treinador e a melhor gestão, mas com uma diferença de 60 M€ é impossível competir. Gastamos a energia em guerras civis e calúnias e os nossos rivais riem-se desse espetáculo porque sabem que não há espaço para três. Dia 8 de setembro é o dia mais crítico da história"

Futebol
"Tem de vencer no futebol e posso prometer que a minha equipa tem esse conhecimento: ideias concretas. Formação vai ser a base da equipa com contratações cirúrgicas. Temos de ter um departamento de scouting profissional com uma rede de olheiros espalhada por mercados que interessam. Um team-manager que seja um para-choque para um treinador, reativar a equipa B porque caiu por decisão política, todos os rivais têm a equipa B à exceção de nós. Vai ser um erro grave e vamos reativar nas distritais. A equipa B tem exigência competitiva que os sub-23 não tem. Aumentar escolas, ir buscar os melhores miúdos, foco na faixa etária dos 6 aos 8, melhorar a rede de transportes para a Academia."

Comunicação
"Quero uma comunicação que valorize o desporto e mais aberto à sociedade, especialmente dos futebolistas. Comunicação assertiva, corajosa e vigilante. Penso que o futuro presidente do Sporting devia constituir-se como assistente neste caso, que é uma vergonha, Acredito na Justiça portuguesa e tenho a convicção que isto é só o início. O Sporting tem de ser ressarcido a nível financeiro e desportivo caso se confirme".

Transparência na gestão do clube
"Quero que os sportinguistas fiquem descansados com o Conselho Fiscal e Disciplinar. Todos os elementos vão apresentar declaração de rendimentos. Vai ser tudo demonstrado aos sócios em relação a transferências e comissões. Queremos zero suspeição"

José Maria Ricciardi

Influência de Bruno de Carvalho
"O Bruno de Carvalho já não é um elefante, é um gato dentro de uma sala. Estão a dar importância a um assunto, que já não tem importância nenhuma. Fez coisas positivas e eu apoiei o Bruno de Carvalho e fiz parte das listas. Terminou uma reestruturação importante e lutou pela verdade desportiva, pela introdução do VAR e construiu o pavilhão. É preciso reconhecer. Mas depois da reeleição começou uma evolução que me recuso a comentar do ponto de vista psicológico. Depois do episódio de Madrid disse-lhe que ele passou todos os limites. Depois violou os estatutos, com comissões, convocar Assembleias-gerais, pensar que uma pessoa destas pode ser candidato demonstra bem o nível de alguns candidatos. Bruno de Carvalho não devia nem podia candidatar-se e eu não tinha receio nenhum de o enfrentar. Uma das primeiras medidas que vou tomar é alteração estatutária para que quem seja destituído por justa causa e para que não possa concorrer mais a eleições".

Finanças e Liga dos Campeões
"A Comissão de Fiscalização (CF) não desmentiu Paulo Santos. O que ela disse é que isso não foi discutido. Quem desmentiu foi o Conselho de Administração (CA) da SAD. Tinha falado em 122 milhões e ele falou em 123, mas acho que vai ser um pouco menos. Estes 100 e tal milhões divididos em três áreas. Nós temos um contrato em escada com a NOS. Esta época são 33 e em 2019/20 são 38 - BdC já gastou 60 e restam 8. Somamos a isto o empréstimo obrigacionista que não está garantido. E depois há um compromisso com os bancos, que o Sporting não cumpriu. O compromisso era quando vendia por mais de 8 milhões, se vendesse por 20, 8 eram para o Sporting mas dos outros 12, seis eram para o Sporting e seis para os bancos. O Sporting não cumpriu que era por dinheiro de lado para quando as VMOC se vencessem pudessem ter dinheiro para comprar as VMOC para não perder a maioria. Isso chega aos 122 milhões. A SAD não está a ser séria e isso tem de ser responsabilizado. Houve uma redução do salário do treinador e conseguimos ceder Doumbia. Além disso, o presidente Sousa Cintra libertou-se de alguns jogadores. Acredito que os tais 60 milhões possam ser menos. Se não forem 120 ou 123 passa a 110 ou 105. A declaração da SAD é irresponsável e tem de ser responsabilizada. Este fosso que vai existir entre os clubes que vão estar de um lado e do outro está-se a aprofundar."

"O fosso que vai existir dos clubes de um lado do futebol europeu para os outros está a aprofundar-se. Benfica e o FC Porto vão receber entre 40 e 50 milhões e se passarem chegam aos 60 e tal milhões. Nós chegaremos aos 10 por cento desse valor na Liga Europa. A economia portuguesa não tem fundo para conseguir ter três clubes que possam nesta globalização manter-se e por isso é que digo que o Sporting tem de passar a ser campeão para poder ir à Liga dos Campeões, que o futuro se irá tornar numa liga Mundial. Clubes que eram de bairro, como o Chelsea, antes dos investidores e do Mourinho, transformaram-se num clube mundial. Não importa a forma como se faz o investimento. Somos um grande clube de futebol, eles eram um clube de bairro. Hoje em dia jogam pré-época nos EUA, na Ásia, e adquiriram números de adeptos superior aos locais. O Sporting está num momento decisivo, que ou fica do lado certo ou do errado, mas há um problema de tesouraria para resolver. Se o Sporting falhar agora, problemas serão muito mais profundos."

Futebol
"Pré-épocas na Ásia e nos EUA e adquiriram adeptos a nível global. O Sporting está num momento decisivo onde fica do lado certo ou errado. Para lá chegar tem um problema de tesouraria para resolver. Se calhar em janeiro temos de reforçar a equipa para lutar pelo título. Isso acarreta grande capacidade de liderança, gestão e experiência. Se falhar agora as consequências são mais profundas"

Casos do Benfica
"Problemas afetam o futebol em geral e os investidores são profissionais. Quando há uma crise muito grave, isso afeta a confiança no setor. A situação em geral e no Sporting, não é fácil".

Comunicação
"O futebol é uma indústria e, nos países civilizados, vemos presidentes a agredir-se e isso afasta família dos estádios. Quando insulta o rival abre o jogo e mostra coisas que não devia mostrar. A comunicação geral deve ser firme, defender os superiores interesses do Sporting, mas que não abra o jogo. Os processos judiciais têm de seguir e chegar às últimas consequências. Essa tem de ser muito bem feita e muito inteligente. Tem de ter grande liderança para equilibrar os pratos da balança com os rivais que têm andado desequilibrados na arbitragem, na Liga e na FPF. Bruno de Carvalho tirou muita margem de manobra sobre os rivais em alguns aspectos que envolviam o Sporting".

Transparência na gestão do clube
"Contas transparentes, sejam as da SAD, sejam as consolidadas. Remunerações têm de ser todas reveladas. Os administradores só devem receber prémios em relação às contas da SAD. Prémios de títulos são para jogadores e treinadores. Temos o caso do Alan Ruiz que saíram 8M€ e entraram 4M€. As transferências devem ser auditáveis".

Dias Ferreira

Influência de Bruno de Carvalho
"Quem for eleito tem de emendar os erros do passado e virar-se para o futuro. Uns dizem que a situação está controlada, depois vem alguém da Comissão Fiscalização dizer o contrário. Organizem-se porque isso não pode terminar assim. Não podemos ser enganados. A herança é a que temos e temos de a aceitar é como quando morre alguém, ficamos com o bom e o mau."

Finanças
"NA SAD dizem que está controlado, depois vem uma pessoa da comissão de fiscalização que diz que está um caos. Organizem-se. Não podemos estar numa luta eleitoral e uns dizerem uma coisa e outros outra. Não podemos ser enganados e distrair atenções para saber o estado da herança. Aceito a herança, aceito as dívidas, mas organizem-se. Ou acredito na Comissão de Gestão ou não e eles dizem que está controlada. O Sporting tem receitas, mas gasta mal o dinheiro. Num dos orçamentos mais magros da era Bruno de Carvalho, com Leonardo Jardim, chegámos ao segundo lugar depois de um sétimo. O problema financeiro não é do Sporting. Muitas vezes tem a ver com erros que se cometem. Podemos discutir scouting, orçamentos, os jogadores, team manager. Podemos ir buscar os melhores…o que está em causa é o respeito pela verdade desportiva. Há uma coisa que temos de fincar: saber quais as posições na verdade desportiva. É importante saber se a competição é regular ou não, para saber se tenho condições para disputar o primeiro lugar. Se a concorrência é desleal, não interessa falar de receitas e investimento. Não posso ir dar beijinhos e abraços ao rival. Estamos a render homenagem às toupeiras. Eu não vi alianças feitas, nem vi resultado positivo disso se elas existiram."

"Temos de acabar com reestruturações sucessivas. Ou vamos à Champions e temos receitas próprias ou se não conseguirmos temos de apostar no ADN da formação e vender um ou outro. Se ganharmos na Champions temos de vender menos. Seria demagogo se dissesse que vou ser campeão no próximo ano. Nenhum de nós pode prometer isso. Não nos compete, temos é de criar essas condições. Se o Sporting em 2015/16 tem ganho, o percurso poderia ter sido diferente. Isto só pode ir como deve ser quando houver concorrência leal. Os últimos dois ou três campeonatos perdemos também pela comunicação. Foi um desastre nos últimos anos."

Futebol
"Temos de acabar com reestruturações sucessivas. Ou vamos à Champions e temos receitas próprias ou se não conseguirmos temos de apostar no ADN da formação e vender um ou outro. Se ganharmos na Champions temos de vender menos. Queremos aumentar sucessivamente as receitas para suprir as dificuldades. Seria demagogo se dissesse que vou ser campeão no próximo ano. Nenhum de nós pode prometer isso. Não nos compete, temos é de criar essas condições. O Sporting já teve das melhores equipas e há sérias dúvidas sobre o resultado moral da época 2015/2016. Quer a gente queira, quer não, estão em causa fortes suspeições. Se com Jorge Jesus o Sporting tinha ganho, o percurso podia ser completamente diferente. Isto só pode ir como deve ser quando exista concorrência leal."

Comunicação
"A comunicação foi um desastre completo. Se calhar os últimos dois ou três campeonatos perdemos com a comunicação. Temos de comunicar a uma voz. Temos de comunicar para dentro e para fora de maneira profissional. Isto não é para amadores! Temos de ter firmeza na ação e uma linguagem, que não sendo brejeira, tem de ser firme e com conhecimento do que estamos a falar. É um problema legal tratado por quem de direito, mas o Sporting não pode adormecer. Gostaria de saber se a Comissão de Gestão se vai posicionar como assistente de vouchers"

Transparência na gestão do clube
"A minha vida é transparente e exijo a todas as pessoas o mesmo. Procurarei conciliar os sportinguistas para, juntos, lutarmos pela verdade desportiva".

João Benedito

Influência de Bruno de Carvalho 
"Queremos construir com base no que foi bem feito, quer por Bruno de Carvalho quer por outras direções, o futuro do Sporting. Qualquer sócio que tenha orgulho em ser o Sporting terá o mesmo orgulho que eu de recuperar a herança do clube. Eu valorizo o que está bem feito. Há efetivamente coisas que estão más, mas também quero chegar a um ponto de consenso em relação aos sócios. Foi o momento mais negro da história do clube, mas continuo a ser orgulhosamente do Sporting. O meu projeto é uma novidade, traz para o panorama um auguro de bom futuro. O Sporting já teve situações financeiramente menos estáveis, mas sempre as ultrapassou sem caos e pânicos".

Finanças
"Preocupam-me duas coisas: as fugas de informação em relação ao que é o Sporting. Não tive acesso a nenhum destes valores e a informações. Só sabemos de contas a 31/03. Quem está no clube não sabe a realidade. Temos de passar para dentro de clube e deixar de ter nos órgãos sociais quem tenha este conhecimento, é isto que nós nos propomos, com a figura de um CEO que seja transversal às realidades não desportivas do clube. Não podemos ter passagem de pelouros com informação reduzida, o Sporting é prejudicado com isto. Não sabemos se temos petróleo ou um poço de pedras lá dentro. Não podemos dizer o nome [do CEO escolhido] porque estão alocadas às melhores empresas. Não podemos dizer que o clube é dos sócios, quando passado quatro anos os sócios eleitos não passam a informação. CD define a estratégia para aqueles que estiverem em área não desportiva poderem decidir. Este poder tem de sair. Há processos que podem chegar aos 240M€. O Sporting faz-se valer dos seus ativos, temos processos no ativo. O Sporting não está sem salvação, o que é preciso é um modelo de gestão independente".

Futebol
"Não vou vender o clube a ninguém e seguir o exemplo do Chelsea. Connosco, o Sporting manterá a maioria do capital da SAD. Vamos começar a ganhar mais pela liderança do exemplo, de quem já ganhou, que vai transmitir liderança, tendo modelo para o futebol sendo modelo útil, com uma comissão executiva a definir as estratégias, diretor desportivo a passar estratégia para o treinador. Deixando o cabeça a cabeça entre treinador e presidente. O nosso projeto traz os campeões para definir estratégias. Vamos reduzir o número de jogadores, plantéis com 23 e 24 jogadores (triângulo). É sustentado a nível financeiro pelo sucesso desportivo".

Comunicação
"Não podemos vacilar em relação a modas. Comunicação institucional, clara e objetiva. Deve focar-se nos nossos feitos, aquilo que fazem os atletas e as crianças para terem âncoras. Não podemos permitir que a comunicação para fora permita que as situações sejam para tapar as coisas que sejam exaustivamente escalpelizadas. Queremos estar nas problemáticas futuras do futebol português. Modelo de governação da Liga e se temos de criar peso com a figura do presidente lá estarei. A nível de verdade desportiva somos constantemente invadidos com cânticos de adeptos nossos barbaramente assassinados. E tivemos alguém que se queria valer da situação que aconteceu para contratar jogadores. O Sporting não estará afastado em nenhum campo de decisão da verdade desportiva. Temos de deixar as falinhas mansas".

Transparência na gestão do clube 
"Concordo totalmente. Temos de contratar e ter essas vertentes no mercado, as pessoas têm de saber e perceber que o Sporting está a fazer o melhor negócio. Temos de identificar que a gestão está a agir de forma correta. Passagens de dinheiro entre SAD e clube para acabar com este clima de desconfiança. Não vamos transmitir para afora, mas os sócios têm de ter acesso a isso".

Rui Jorge Rego

Influência de Bruno de Carvalho
"Tenho a certeza que vai continuar, pois ele parece ter escolhido esse caminho. Isso não é sensato para o Sporting, mas as pessoas são livres para seguir o seu caminho. Há clubes que têm elefantes bem maiores do que o Bruno de Carvalho poder voltar. Espero que a afluência seja grande e que se bata o recorde de sócios a votar. Parece-me que Bruno de Carvalho fez coisas boas e deixou assuntos para resolver. Se ele quiser impugnar [as eleições] é um direito que lhe assiste, mas combateremos isso em sede própria."

Finanças e Liga dos Campeões
"Como tivemos as rescisões e não ganhámos na Madeira acabámos por estoirar o que fazemos. O que normalmente fazemos é um orçamento em que o volume da despesa é maior que a receita à espera da Champions ou ter mais valia de jogadores. Ora não entramos na Champions, os que tínhamos rescindiram e ficamos sem forma. Nós propomos o sistema inverso. Fizemos parceiras estratégicas, com o Julio Abrantes e a KNJ, que vão garantir ter orçamento reduzido e jogadores de qualidade, porque vamos ter de competir com os rivais com orçamentos mais reduzidos. Vamos ter de chegar aos primeiros lugares. Se o Sporting tivesse ido à Liga dos Campeões não recebia 43, recebia metade. Já não é só ter de ir, é ir várias vezes e com boas performances. Não chega ter projetos e fórmulas de investimento para andar a perder jogos quando o jogo está viciado. Temos de fazer esse combate. Se o campo é inclinado temos outro tipo de dificuldades. Parcerias vão permitir outro tipo de receitas, o modelo está feito para que não tenhamos de estar à espera de ir à Champions e de mais valias. Pontualmente uma equipa com orçamento menor pode ganhar um campeonato, regularmente não ganha.

"Se não ganhar as eleições tentarei que estas parcerias funcionem ao serviço do Sporting. Isto não é um investidor que vai por dinheiro. Há um projeto de aumento de receitas que faz parte desta parceria estratégica. Não chega ter projetos, equipas para depois perdermos os jogos quando estão viciados. Temos de fazer esse combate. Se o campo é inclinado temos mais dificuldades".

Futebol
"No caso atual do Sporting são medidas a longo prazo. Vamos ser um clube mundial, porque os parceiros são da China e do Brasil".

Comunicação
"Naquilo que é a comunicação para os sócios tem de haver política clara de impedir que jogadores se manifestem nas redes sociais. Tem de haver um regulamento claro. Usar os meios oficiais para combater a comunicação desfavorável ao Sporting. Temos de ter um papel mais ativo e trabalhar na comunicação com as instituições, mas devemos fazê-lo no sigilo e sempre à procura da verdade desportiva Acho que quanto mais rápido o Sporting tiver relações institucionais com todos, mais rápido o futebol português vai melhorar".

Transparência na gestão do clube
Empresas de familiares ad Direção não podem prestar serviços ao Sporting, a menos que ganhem um concurso público".

Fernando Tavares Pereira

Influência de Bruno de Carvalho 
"Queremos organizar o Sporting para ter capacidade de enfrentar qualquer problema que surja. Bruno de Carvalho fez bem três ou quatro anos e fez mal em duas ou três horas. Quando a língua não cabe na boca… Corri o país todo, quase 40 mil quilómetros, todos querem um Sporting unido e estou aqui para fazer um Sporting forte, unido e não uma manta de retalho".

"A Academia do Sporting não funciona há 10 anos. É um erro grave, constante. A Academia tem bons atletas, há uma parte do Conselho Diretivo que não funcionou. Se a Academia não funciona, é só dívidas. Foi o Figo, foi o Ronaldo, nestes últimos anos não tem saído praticamente nada e quem sai não sai com sportinguismo na cabeça."

Finanças
"Sabem-se mais rápido as notícias cá fora do que os colegas do CD. A nossa capacidade de gestão é organizada e não vamos admitir que se passe para a rua qualquer situação financeira do Sporting. Precisamos de transparência total. As pessoas não têm responsabilidade. Vamos reunir com os diversos departamentos e explicar que são funcionários do Sporting. Se não estiverem a trabalhar corretamente, vão ser substituídas por pessoas mais capazes. Vou até ao fim. Doa a quem doer, custe a quem custar. Era mais fácil desistir, mas a minha responsabilidade enquanto sócio começa aí. A Academia do Sporting não funciona há 10 anos. É um erro grave, constante. A Academia tem bons atletas, há uma parte do Conselho Diretivo que não funcionou. Se a Academia não funciona, é só dívidas. Se encaramos como fonte de receitas a Academia tem de recomeçar a funcionar Foi o Figo, foi o Ronaldo, nestes últimos anos não tem saído praticamente nada e quem sai não sai com sportinguismo na cabeça."

"O Sporting está numa segunda divisão europeia, três campeonatos em 40 anos é muito mau. É fácil ganhar títulos, é ter uma equipa coesa, com o Conselho Diretivo a vigiar essas equipas. Contem que vou estar presente para dar aos nossos jogadores o que lhes falta."

Comunicação
"Regulamento interno que os funcionários têm de respeitar. Não podem passar o limite que têm. Há casos que têm de ser resolvidos rapidamente porque temos de ter uma situação definida. Espero que o Sporting consiga ter responsabilidade nas Associações para termos representatividade na FPF. Temos de ganhar 12 associações para ter representatividade. Queremos tratamento igual. Há muitos comentadores que não conhecem os candidatos. Tenho 44 anos de trabalho, 2,5 milhões de clientes".

Transparência na gestão do clube
"Quem paga a campanha somos nós e gostava de saber o que acontece com os outros. Vou para a SAD sem vencimento até a situação financeira estar resolvida. Arrumar a casa e explicar aos funcionários o que fazer para respeitarem o Sporting com transparência e responsabilidade".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.