Rogério Gonçalves considerou hoje a deslocação ao reduto do Beira-Mar como extremamente difícil, mostrando-se convicto de uma boa resposta da sua equipa, que lutará até à exaustão pela vitória na partida da 9.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

“Temos consciência de que teremos de enfrentar uma equipa bem organizada e muito coesa, contudo, espero que a minha equipa possa dar continuidade ao bom desempenho da semana transacta e possa chegar à vitória”, vincou o treinador navalista.

“Nada é fácil, vamos jogar ao reduto adversário as nossas armas serão a coesão, organização e ambição. Se utilizarmos com inteligência estes vectores nada nos pode inibir de poder ansiar a um bom resultado”.

As ausências de Orestes e Godemèche “não podem ser escape para nada” garante o técnico lamentando a sua ausência pois “são dois excelentes executantes”.

Rogério Gonçalves diz que a mensagem que tem passado aos jogadores é no sentido de os tranquilizar “eles estão a trabalhar bem e com capacidade de resposta” os indicadores que deixaram ao longo da semana indicam que “os níveis anímicos estão a subir” finalizou.

Beira-Mar e Naval, respectivamente 12.º e 15.º da tabela com oito e quatro pontos defrontam-se no domingo no Estádio Mário Duarte em Aveiro pelas 16 horas, partida que será dirigida pelo bracarense, Jorge Ferreira

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.