“Não acontecem decepções só ao Ulisses e ao Paços. Não fiz do resultado (1-2 com o Desportivo de Chaves) um drama. O trabalho agora é recuperar a equipa, mas estas coisas tratam-se e recuperam-se no jogo seguinte”, disse Ulisses Morais, na ressaca da derrota caseira frente aos flavienses e da eliminação nos quartos de final da Taça de Portugal.

O técnico da formação pacense não escondeu a tristeza pelo adeus à Taça e relativizou as apostas feitas em jogadores jovens, lembrando que “a competência não tem idade”, e confirmou “muito empenho” do grupo para o jogo em Guimarães.

“Estamos empenhadíssimos e motivados para que possamos discutir o próximo jogo contra o Guimarães, um adversário grande”, garantiu, desvalorizando o conhecimento do técnico dos vimaranenses, Paulo Sérgio, que iniciou a época na Mata Real.

Ulisses Morais foi claro: “Tenho a certeza de que (o Paulo Sérgio) conhece melhor o plantel do Paços do que a maioria dos adversários, mas não o conhece melhor do que eu. Também conheço bem o Guimarães e, nesse aspecto, estamos empatados”.

Baiano, com um traumatismo no joelho direito, consequência do jogo de quinta-feira, não treinou hoje e está indisponível para Guimarães, constituindo a principal baixa de Ulisses Morais.

O Paços de Ferreira, 10.º colocado da Liga, com 19 pontos, visita o Vitória de Guimarães, sétimo, com 23, no domingo, pelas 18:00, num jogo com arbitragem de Olegário Benquerença, de Leiria.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.