O guarda-redes António Filipe, do Paços de Ferreira, cumpriu no domingo, frente ao Marítimo, o sonho de jogar na Liga de futebol, embora lamente que a estreia tenha sido motivada pela expulsão de Cássio.

“Não foi a estreia desejada, face à infelicidade de um colega. Sinceramente, não estava à espera que o Cássio fosse expulso, mas sentia-me preparado para jogar, como acontece em todas as partidas, e acho que correu bem”, disse à agência Lusa António Filipe.

O guarda-redes, de 25 anos, garante que “nem deu para pensar que se tratava de uma estreia” e revela a “enorme vontade” que sentiu de “entrar em campo e ajudar a equipa” numa fase decisiva da partida.

“Entrei numa altura complicada, com muitas bolas enviadas para a área, mas penso que conseguimos superar a desvantagem numérica. E, apesar de alguns cruzamentos, não fui chamado a intervir muitas vezes. Acredito que tenha sido uma estreia em grande (risos)”, sublinhou.

António Filipe espera manter a titularidade, apesar de reconhecer que “o Paços tem três bons guarda-redes e que qualquer um deles será uma boa aposta para jogar de início”, e antecipa as exigências do próximo jogo, frente ao Sporting de Braga.

“O Braga exige porventura mais concentração e rigor. Se for eu o escolhido, não posso facilitar, pois quero mostrar por que razão o clube me foi buscar e trouxe para a Liga”, disse o guarda-redes, titular uma única vez em 2009/2010, na vitória fora do Paços de Ferreira com o Olhanense (1-0 para a Taça da Liga).

Cássio, castigado, e Mário Rondon, por lesão, são ausências confirmadas para o jogo de domingo na Mata Real, mas, em contrapartida, Filipe Anunciação e Manuel José já treinam sem limitações.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.