O jogador português rescindiu com o Rubin Kazan, da Rússia, que o tinha emprestado aos gregos do Asteras Tripolis na temporada passada, e desde Setembro que não joga.

Por isso, Fábio Felício considera o Vitória "o clube ideal para relançar a carreira".

"Passei alguns anos fora e as coisas não correram bem, mas isso já faz parte do passado. O meu pensamento centra-se no presente e em ajudar o Vitória", disse na apresentação à imprensa.

O jogador, que se destacou em Portugal na União de Leiria, que lhe valeu depois a transferência para a Real Sociedade, exprimiu ainda a sua satisfação por ir "representar um dos grandes em Portugal".

Fábio Felício disse-se com "muita vontade de ajudar" e considerou que a falta de competição "não prejudica", dizendo-se convencido que os jogos trarão o ritmo necessário.

Já o presidente do Vitória de Guimarães disse na cerimónia que o clube tem "dado prioridade aos jogadores portugueses" e que Fábio Felício foi indicado pelo treinador, Paulo Sérgio, sendo que já estava referenciado há "algum tempo".

Segundo Macedo da Silva, o Vitória de Guimarães deverá reforçar-se com "mais um ou dois jogadores", tornando claro que "o primeiro objectivo é reduzir o grupo, porque tem demasiados jogadores".

Para isso, as saídas terão de ser em maior número: "vão ser uns cinco jogadores. Pretendemos emprestar os jogadores para que eles rodem num outro clube e regressem depois a esta casa, porque depositamos confiança neles".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.