Desde que o setubalense chegou ao comando técnico para render Rui Vitória, nos primeiros dias de 2018, as 'águias' conquistaram oito vitórias no mesmo número de jogos, reduzindo a desvantagem para o topo de sete para um ponto em seis jornadas e segurando a distância nas duas últimas rondas, com os dois Desportivos, de Aves (3-0) e Chaves (4-0).

O futebol pouco atrativo e muitas vezes sofrível intensificou-se nos últimos meses do 'reinado' de Vitória na Luz e acabou por 'selar' o destino do treinador bicampeão, que arrancou a época com vitórias sobre Vitória de Guimarães (3-2) e Boavista (2-0).

O empate com o Sporting (1-1), à terceira jornada, trouxe para a 'ribalta' João Félix, um 'menino' de 18 anos, que salvou as 'águias' do desaire com o eterno rival, anotando o golo benfiquista a quatro minutos do final e marcando outro no triunfo sobre o Desportivo das Aves.

A partir da vitória caseira sobre o FC Porto (1-0), as 'águias' entraram numa 'espiral' negativa, perdendo com Moreirense (3-1) e Belenenses (2-0), o que originou os primeiros sinais de contestação dos benfiquistas.

Mesmo com a pesada goleada sofrida em Munique, as vitórias sobre Tondela (3-1), Feirense (4-0), Vitória de Setúbal (1-0), Marítimo (1-0) e, sobretudo, a goleada ao Sporting de Braga (6-2), faziam antever a retoma 'encarnada', que foi travada em Portimão (2-0), com dois autogolos de Rúben Dias e Jardel, e que deixaram as 'águias' em quarto lugar, a sete pontos do FC Porto.

Desta feita, não houve 'luz' que segurasse Rui Vitória e Bruno Lage, até então técnico da equipa B, foi chamado a assumir o comando da formação principal, não se livrando de um 'susto' na estreia.

Na receção ao Rio Ave, o Benfica deu a volta a uma desvantagem de 2-0 e venceu por 4-2, com João Félix e Seferovic, ambos com dois tentos, a iniciarem uma fase de enorme fulgor enquanto dupla de ataque preferencial de Bruno Lage: o jovem português leva oito golos na I Liga e o internacional helvético é o melhor marcador da prova, com 15.

Começava aqui a recuperação das 'águias' no campeonato, mas não só de vitórias se viveu na Luz, já que as exibições melhoraram consideravelmente, assentes numa dinâmica ofensiva e num processo defensivo - até então completamente ausentes -- de maior qualidade e que permitiu o crescimento das individualidades.

O médio Gabriel, vetado quase ao 'anonimato' com Rui Vitória, emergiu como uma das peças fulcrais do modelo de Bruno Lage, que também 'resgatou' o grego Samaris, fez 'regressar' o melhor Pizzi e ainda promoveu os jovens Ferro, Florentino e Jota.

Santa Clara (2-0), Vitória de Guimarães (1-0) e Boavista (5-1) foram as 'vítimas' que se seguiram aos vila-condenses, antes da deslocação a Alvalade, onde os 'encarnados' deram uma demonstração de força perante rival Sporting (4-2), à 20.ª jornada.

Com o FC Porto a três pontos de distância, o conjunto da Luz não poderia desejar uma 21.ª jornada melhor: os 'dragões' empataram em Moreira de Cónegos (1-1) e os 'encarnados' responderam com uma goleada à 'moda antiga' ao Nacional (10-0), reduzindo para um ponto a diferença para a liderança, que estará em disputa no sábado, a partir das 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, no clássico da 24.ª ronda.

Notícia originalmente publicada a 28 de fevereiro

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.