Em encontro amigável que se disputou na Alemanha, o FC Porto empatou com o Schalke (0-0).

Julen Lopetegui procedeu a cinco alterações em relação ao último encontro frente ao Mönchengladbach apresentando-se no seu esquema habitual. Ruben Neves, como pivot e Evandro no miolo.

Silvestre Varela, e Brahimi no ataque, e Lichnovsky no centro da defesa. Já o Schalke iniciou a partida num 4-4-2 com o recém-contratado Di Santo e Huntelaar na frente.

Os alemães iniciaram o jogo a imprimir muita velocidade e podiam ter inaugurado o marcador logo aos quatro minutos com um remate de primeira de Huntelaar, valeu Casillas.

A resposta dos dragões, aconteceu alguns minutos depois com um cruzamento remate de Alex Sandro. O cruzamento remate do lateral esquerdo brasileiro ainda bateu no poste.

Aos 29 minutos, o defesa canarinho evitou o golo num carrinho, negando o golo de Goretzka. O FC Porto tentava sacudir a pressão, no entanto a pressão do Schalke avolumava-se. Sérgio Oliveira num livre fez a bola embater na barreira.

Os dragões ocupavam bem os espaços e tentavam movimentos interiores através de Brahimi e Varela, contudo não conseguiam criar perigo.

Aos 44 minutos, depois de um cruzamento venenoso de Draxler, Neustaedter falha a emenda de forma incrível. Valeu Casillas,a sacudir com os punhos O guardião espanhol foi o homem mais em evidência dos dragões na primeira parte.

No etapa complementar , o FC Porto reequilibrou a partida. André André disparou aos 56 minutos ligeiramente ao lado. Com a entrada de Danilo a equipa ganhou maior agressividade no meio campo, no entanto, ainda sem referência no ataque. A impetuosidade do médio português (que também entrou no segundo tempo) também ajudou a equilibrar o encontro.

Aos 58 minutos, Helton (rendeu Casillas) evitou o golo, saindo aos pés de Huntelaar. Os dragões voltaram a criar perigo (75 minutos e 79 minutos), com dois livres diretos, por Adrián Lopez e Maicon.

Na segunda parte, os dragões controlaram o jogo e não passaram por tantos apertos, ainda assim sentiu-se falta de uma referência no ataque. O guardião do Schalke não fez uma só defesa na partida, realidade preocupante para o conjunto da Invicta.

Os dragões passaram o teste na Alemanha frente um rival com um nível competitivo muito alto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.