Os Dragões venceram, este domingo, o Marítimo por 3-0, em jogo da segunda jornada do campeonato português, que se disputou no Estádio do Dragão. FC Porto continua no pelotão da frente com dois jogos e duas vitórias, logo seis pontos.
FC Porto e Marítimo chegavam a esta segunda ronda motivados pelas respetivas vitórias na ronda inaugural do campeonato português, em que os Dragões venceram em Setúbal e o Marítimo "bateu" o Benfica.
Face ao encontro no Bonfim, o treinador Paulo Fonseca manteve a mesma equipa inicial que alinhou contra o Vitória de Setúbal, resultando daí uma vitória por 1-3.
Iturbe, convocado pela primeira vez em jogos oficiais, começou o encontro no banco de suplentes, assim como Quintero, autor de um grande golo em terreno sadino. Os dois jogadores haviam de entrar durante a segunda parte.
Com casa quase cheia no Dragão, as duas equipas protagonizaram um equilibrado início de jogo, com a formação insular a dar sinais que estava na cidade do Porto para criar dificuldades aos tricampeões nacionais. Contudo, esse equilíbrio não durou mais do que dez minutos, altura em que o FC Porto empurrava o adversário para a sua área.
O Marítimo de Pedro Martins pouco pôde fazer para travar o poderio azul e branco e, aos 27 minutos, os Dragões inauguraram o marcador com toda a justiça. Licá, pela direita, construiu metade do golo de Jackson Martínez. O avançado colombiano, que está a ser cobiçado por grandes clubes europeus como o Chelsea, só teve mesmo de empurrar a bola para lá de linha de golo.
A formação da Madeira começava mesmo a desaparecer do jogo e Licá, um dos jogadores mais incansáveis dentro de campo, materializou todo o seu esforço no segundo golo portista. Aos 37 minutos, desta vez com um grande trabalho entre Josué e Danilo, o lateral brasileiro cruzou rasteiro para o segundo poste onde surgiu o ex-Estoril a fazer a emenda vitoriosa.
Logo depois voltou-se a gritar golo no Dragão mas o lance já tinha sido a anulado a Jackson Martínez por fora de jogo.
A etapa complementar começou com uma grande penalidade a favor da equipa da casa. Otamendi foi derrubado na grande área do Marítimo e o árbitro Jorge Ferreira não teve dúvida em apontar castigo máximo à formação insular. Josué parece ser o “homem-penálti” do FC Porto e foi o ex-Paços de Ferreira que converteu com sucesso aos 51 minutos.
Depois do terceiro golo, o ritmo do jogo baixou mas o FC Porto manteve sempre o controlo, e ainda podia ter marcado mais – como foram os casos de Jackson Martínez aos 79 minutos e Lucho aos 90-, até ao final da partida.
FC Porto soma assim a sua segunda vitória em dois jogos possíveis e continua no pelotão da frente da tabela classificativa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.