Foi uma situação de nervos para todos os envolvidos. Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, foi um dos adeptos presentes no estádio António Coimbra da Mota, no Estoril, e tentou fazer o máximo para ajudar as pessoas que estavam na bancada.

Em declarações ao jornal Record, Madureira recordou os momentos que antecederam a invasão de campo, antes do reinício da segunda parte.

"Ao intervalo, fui chamado pelos elementos de segurança, para ver uma fenda no interior do estádio. Estavam aflitos e disseram que era preciso evacuar a bancada, pois estava a cair", referiu.

"Ouvimos um estrondo. Quem estava no interior até pensava que tinham rebentado um petardo."

Com perto de três mil espectadores na bancada, o membro da conhecida claque do FC Porto usou o megafone para tentar ajudar o processo de evacuação da bancada.

"Quem estava em baixo, ia para o relvado; quem estava na parte de cima, era encaminhado para o exterior. Era importante que as pessoas não entrassem em pânico."

Para Madureira, "foi melhor" não haver segunda parte do que acontecer uma tragédia. "Imagine se o FC Porto marcasse um golo e toda a gente saltasse a festejar..."

Recorde-se que a segunda parte do jogo entre Estoril e FC Porto nunca chegou a acontecer, depois do aviso de que a bancada norte do estádio António Coimbra da Mota ter o risco de cair.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.