O SC Braga divulgou na quinta-feira o relatório de contas relativo à temporada 2013/14 e uma das surpresas foi a alienação de uma parte dos passes de Pedro Tiba e Rafa a um fundo de investimento. No entanto, a informação não é muito detalhada e não se sabe a quem estes pertencem agora nem por quanto se concretizou o negócio.

Segundo adianta o jornal O Jogo na sua edição desta quinta-feira, o negócio terá tido influência de Jorge Mendes, empresário que mantém boas relações com António Salvador, presidente dos "arsenalistas". Com este negócio sabe-se apenas que o Braga passou a deter apenas 30% do passe de Rafa (antes possuía 80%) e 57% do de Pedro Tiba (anteriormente possuía 85%).

O clube também divulgou que o Mónaco pagou 1,1 milhões de euros relativos ao "direito de observação e preferência na contratação" sobre três jovens formados do clube: Gil Dias (está cedido ao clube francês), Núrio, Ká, Joca, Miguel Ângelo e Xadas (todos eles da equipa B).

A SAD bracarense apresentou um resultado operacional de 8,9 milhões de euros durante o mesmo período. O valor baixou dos 23,1 milhões conseguidos em 2012/13, uma vez que o clube falhou a entrada na fase de grupos na Liga dos Campeões e não renovou o contrato de “naming” do estádio com a seguradora AXA.

Neste sentido, o Braga declarou um passivo de 2,3 milhões de euros que ainda não incluem as mais-valias de 11,56 milhões de euros relativas à transferência de Diego Costa, avançado que trocou o Atlético de Madrid pelo Chelsea no verão passado e que passou por Braga em 2006/07. Neste sentido, o passivo do clube minhoto acabou por aumentar dos 22,6 para os 24,5 milhões de euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.