O brasileiro Hulk e o espanhol Nolito podem ser decisivos no “clássico” de sexta-feira, da sexta jornada da Liga portuguesa, de acordo com o ex-futebolista Paulo Futre, que não tem preferências quanto a vencedor.

«O Hulk, da parte do FC Porto, sem dúvida, e no Benfica vou apostar no Nolito, que fez dois golos (à Académica). Acho que podem ser os dois. O Nolito está num bom momento, adaptou-se bastante bem ao futebol português e ao Benfica, acho que pode desequilibrar lá», afirmou Paulo Futre.

Em entrevista à Agência Lusa, o ex-jogador de FC Porto, Benfica e também Sporting, assegura que a “rivalidade” é semelhante qualquer que seja a camisola que se vista.

«Dos dois lados. Quando eu cheguei ao FC Porto, a primeira coisa que me disseram foi que tinha de ganhar ao Benfica e ao Sporting, mas muito mais ao Benfica, porque era a equipa com mais títulos, onde havia o poder em todos os aspetos. Por isso, a primeira coisa que te dizem é que tens de ganhar ao Benfica, como seja», explicou.

Apesar de nunca ter jogado no Porto com a camisola “encarnada”, o antigo extremo considera que a pressão era enorme para os visitantes, fosse na Luz ou nas Antas.

«Eu nunca joguei nas Antas pelo Benfica, mas ser jogador do Benfica naquela altura, ou mesmo hoje, acho que pouco mudou, não é fácil. Sentem uma pressão tremenda. Também naquela altura, com 120 mil pessoas na Luz, era uma pressão grande para nós, jogadores do FC Porto», recordou.

Paulo Futre, sportinguista assumido, segue o politicamente correto, quando questionado sobre a sua preferência para vencer o “clássico”.

«Nunca poderei ir contra o FC Porto e tenho uma grande amizade com o Luís Filipe (Vieira), por isso, que ganhe o melhor. Estamos no início do campeonato, é um jogo que não vai decidir nada ainda, mas contra o FC Porto nunca poderei ir, seria injusto», referiu.

FC Porto e Benfica defrontam-se sexta-feira, com o Sporting à espreita.

O antigo futebolista e ex-candidato à vice-presidência dos “leões” espera que o Sporting continue a ganhar e deixa elogios para Diego Capel, que tem alguns dos seus “traços”.

«É um jogador que tem muitas coisas minhas, de quando eu jogava. Vês os movimentos de braços, vês que é um jogador muito vertical, que procura sempre o um contra um e, no dia em que está bem, sozinho decide um jogo. Já fez coisas interessantes, mas está numa fase de adaptação», advertiu.

Quanto ao coletivo, o antigo internacional português acredita que o Sporting poderá juntar-se a FC Porto, Benfica e Sporting de Braga na frente.

«Acho que os três vão estar sempre a lutar, mas espero que o meu Sporting, depois da grande vitória em Paços de Ferreira – muito importante psicologicamente, muito importante para a moral dos jogadores – e das vitórias na Liga Europa e com o Rio Ave, consiga manter esta linha positiva», frisou.

Apesar de ter integrado a lista de Dias Ferreira, concorrente à do atual presidente Godinho Lopes, Futre, garante apoio e concordância com o atual treinador.

«Sem dúvida e estou completamente de acordo com ele, o Sporting está na luta. Nunca diz que vai lutar pelo título, porque sabemos que o FC Porto está muito forte, vem de uma época excelente, em que ganhou tudo o que tinha para ganhar, o Benfica também, foi campeão há dois anos e tirando o início do campeonato fez coisas muito positivas o ano passado», finalizou Paulo Futre.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.