Somando os proveitos dos três grandes do futebol português arrecadados nos três primeiros trimestres chega-se a uma verba ligeiramente superior aos 121 milhões de euros, mas 62 por cento foi canalizada directamente para salários e prémios aos plantéis profissionais.

A três meses de encerrar a contabilidade da época desportiva, só o FC Porto conseguiu lucros entre Junho de 2009 e Março de 2010, apresentando resultados líquidos superiores a dez milhões de euros, muito por culpa da venda do argentino Lisandro Lopez e do francês Aly Cissokho ao Lyon.

Os quase 40 milhões de euros arrecadados pelos portistas entraram na contabilidade do primeiro trimestre e acabam por pesar definitivamente para os resultados líquidos positivos dos portistas, o que volta a provar que os emblemas portugueses têm de vender jogadores para conseguirem contas mais equilibradas.

Sem protagonismo nos últimos mercados de transferências, Sporting e Benfica já apresentam prejuízos significativos e ainda falta o trimestre que costuma ser mais penalizador, por apanhar grande parte do defeso.

O Sporting já somou prejuízos que quase chegam aos 15 milhões de euros, enquanto o novo campeão nacional já tem um “buraco” muito perto dos 23 milhões, arriscando-se mesmo a superar a fasquia dos 30 milhões quando encerrarem as contas da temporada.

Apesar de ter resultados negativos inferiores aos do Benfica, o Sporting é, dos três grandes, o que se apresenta em condições financeiras mais tremidas, pois é o único que registou números negativos nos capitais próprios (um défice superior a 30 milhões de euros).

Já o Benfica apresenta o grande mérito de ter conseguido proveitos (contas que excluem passes dos jogadores) quase iguais ao FC Porto, que nas suas contas (47,1 milhões) teve o bónus da presença na Liga dos Campeões (mais de 18 milhões de euros), enquanto o Benfica teve de contentar-se com a “secundária” Liga Europa. Mesmo assim, ganhou em caixa 46,4 milhões.

Com estes resultados, se o “fair-play” financeiro, medidas adotadas pela UEFA, e que entrarão em vigor dentro de duas épocas, estivesse já em vigor, apenas FC Porto teria visto para participar nas competições europeias.

Se quisessem abrir as portas das lucrativas provas da UEFA, que, dentro de dois anos, vai passar a exigir aos clubes rendimentos superiores aos custos, Sporting e Benfica teriam obrigatoriamente de encaixar numerário com a venda de jogadores, a única solução que pode assegurar algum equilíbrio financeiro aos clubes portugueses.

As SAD dos três principais clubes em números

                                            FC Porto       Sporting       Benfica

Resultado líquido                 10 700         -14 874        -22 822     

Capitais próprios                 33 476         -30 828          5352   

Activo                                 185 414        113  245       347 349          

Passivo                               151 937        144 073        341 997

Proveitos excluindo
passes de jogadores  
          47 176         27 661          46 430

Custos excluindo                 
passes de jogadores 
          48 554         30 590          -46 946

Custos com pessoal            31 024         17 299         -27 022

Nota: valores em milhares de euros

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.