"Toda a gente quer jogar e eu tenho sempre esperança de o fazer, mas só um pode defender. O que é preciso é trabalhar e estar preparado para quando chegar a nossa vez", disse à agência Lusa Coelho, que, no entanto, não se diz obcecado pela titularidade.

O guarda-redes pacense foi titular pela primeira vez esta época em Guimarães e um dos responsáveis pela vitória do Paços de Ferreira, por 2-1, ao protagonizar uma série de boas defesas que disfarçaram bem os nervos de quem não jogava desde 07 de Março de 2009 (derrota fora por 2-0 com o Sporting).

"Soube que ia jogar no sábado e fiquei muito contente, pois é para isso que trabalho diariamente. No início do jogo, estava um pouco nervoso, o que é próprio de quem está há algum tempo sem jogar. Mas, com o decorrer do jogo, acalmei e as coisas saíram normalmente", sublinhou.

O jogador, de 25 anos, reconheceu que, "de uma forma geral, o jogo correu bem", mas repartiu os louros da vitória com os companheiros, precisando: "Não ganhei o jogo sozinho, pois os colegas também me ajudaram bastante. Acima de tudo, penso que foi uma exibição muito bem conseguida da equipa".

A exibição do guarda-redes pacense em Guimarães incluiu algumas saídas arrojadas, que lhe valeram ser assistido durante vários minutos no relvado e muitos assobios dos adeptos vitorianos.

Sem perder o sorriso, Coelho explica: "As pessoas pensavam que estava a fingir, mas aconteceu que abri o sobrolho e tive de ser suturado com quatro pontos em pleno relvado".

Em relação ao futuro, Coelho coloca a decisão de continuar a titular nas mãos do treinador, garantindo que "os interesses da equipa estão primeiro".
"O que ele achar que é melhor para a equipa, está bem", acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.