Em comunicado de resposta ao Sporting de Braga, que acusou hoje o Vitória de Guimarães de ter quebrado o acordo no jogo da primeira volta da Liga de futebol e por não ter adiado o encontro de segunda-feira, da 26.ª jornada da Liga de futebol, os vimaranenses sublinharam que nunca permitirão «o desaforo».

«É uma ilusão total querer branquear e distorcer aquilo que está já bem claro para todo o país. O presidente do Sporting de Braga não honrou a palavra dada», refere-se no documento assinado pelo presidente do Vitória, Emílio Macedo da Silva.

O dirigente esclarece no comunicado que «factos são factos» e lamentou que «há quem ande neste mundo do futebol convencido de que fazer mal é a ordem natural das coisas».

Num comunicado para «repor a verdade» e assinado pelo conselho de administração, a SAD "arsenalista" rebateu hoje os argumentos do presidente do Vitória de Guimarães.

Emílio Macedo, em comunicado emitido na quarta-feira, criticou o homólogo bracarense, António Salvador, acusando o Sporting de Braga de disponibilizar menos bilhetes do que estava acordado para o ‘clássico’ minhoto, na segunda-feira.

Confirmando existir, desde Novembro de 2010, «um compromisso de cavalheiros» entre os clubes, a SAD bracarense lamenta que tivesse sido «de pouca dura, pois, logo na deslocação a Guimarães [na primeira volta], ocorreram várias situações de falta de ‘fair-play’, sem que qualquer dirigente do Vitória de Guimarães, nomeadamente o seu presidente, tenha vindo a público denunciá-las».

O Sporting de Braga recebe o Vitória de Guimarães na segunda-feira, em jogo que encerra a 26.ª jornada da Liga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.