Jesualdo Ferreira defendeu que o jogo teve três partes. A primeira de domínio do FC Porto, a segundo com ascendente da Naval e a terceira, ao longo de toda a segunda parte, totalmente dos "dragões".

O treinador portista admitiu mesmo que, antes do intervalo, a Naval, tirando partido de uma fase de jogo "menos positiva por parte do FC Porto, a jogar na espera, sem pressionar, criou perigo e podia ter empatado".

"Na segunda parte o FC Porto foi melhor, teve mais bola e mais controlo. O golo da Naval - que reduziu para 2-1 - não chegou a criar intranquilidade porque o FC Porto marcou na jogada seguinte por Farias", referiu.

Jesualdo Ferreira considerou os golos marcados por Falcao, Varela e Farias "excelentes" e recordou que o FC Porto somou hoje três pontos, onde o ano passado perdeu.

O treinador manifestou-se ainda desagradado com o facto de os compromissos das selecções obrigarem a uma interrupção no trabalho das equipas, mas considerou que não se pode alterar o que a regras mandam.

Varela, que esta noite se estreou a marcar em provas oficiais com a camisola dos "dragões", consdierou que está a fazer um bom início de temporada, mas o importante é que a equipa continue a ganhar.

"Vamos conseguindo jogo a jogo alcançar os nossos objectivos e no final fazer contas", referiu, acrescentando que está apenas concentrado em continuar a trabalhar no FC Porto sem pensar na hipótese de ser chamado à selecção.

O treinador da Naval, Ulisses Morais, ficou satisfeito com o desempenho da equipa, que não teve nada a ver com o das últimas semanas, e que deixa boas perspectivas para o futuro, embora insatisfeito com o resultado.

Ulisses Morais considerou que a Naval foi algo tímida no início do jogo, mas assim que tomou consciência que podia actuar de igual para igual com o FC Porto dispôs de duas ou três oportunidades para fazer golo.

O treinador, que acredita que a sua equipa cresceu no jogo de hoje e por isso está mais confiante para o futuro, considera que a Naval, ao contrário do FC Porto, só não conseguiu marcar por falta de eficácia na concretização.

O jogador da Naval Lazaroni apontou algumas falhas de atenção e intranquilidade no início do jogo e o facto de a equipa ter "sofrido dois golos bobos" para a diferença no marcador, que ditou o triunfo do FC Porto.

"O ano passado fizemos um arranque bom de campeonato, mas esta época falta mais atitude, mais entendimento", adiantou Lazaroni, referindo-se ao inicio de temporada abaixo das expectativa, dado que a naval somou apenas um ponto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.