O treinador do SL Benfica falou, esta quarta-feira, sobre o planeamento da próxima época, das remodelações no plantel e das alegadas alterações na estrutura do futebol encarnado.

No dia Mundial da criança, Jorge Jesus esteve no Estádio da Luz para se juntar a uma iniciativa da Fundação Benfica, numa série de actividades com milhares de crianças.

Sempre rodeado por crianças, Jorge Jesus percorreu várias áreas onde decorriam actividades maioritariamente desportivas. O técnico encarnado cumprimentou várias crianças e tirou inúmeras fotografias com vários adeptos enquanto se ouviam saudações ao técnico da equipa de futebol encarnado.

E como seria incontornável, a época desportiva foi abordada por Jorge Jesus no final da romaria. Para o técnico encarnado, as críticas ao planeamento da época desportiva do ano passado só surgiram porque o Benfica não foi campeão.

«Todos os anos em termos desportivos são diferentes, enquanto no ano passado por esta altura estávamos numa situação completamente diferente, tínhamos sido campeões, este ano não é o caso, mas o planeamento é sempre feito numa intenção de melhorarmos e de partirmos para uma nova época confiantes que possamos competir com os nossos rivais», começou por dizer Jorge Jesus.

Confrontado com declarações de Luís Filipe Vieira, que afirmou que não podia haver erros no planeamento da época passada, o técnico não as interpretou como críticas ao seu trabalho.

«Não tirei o sentido como critica. É uma opinião, é normal que ao longo dos anos, neste caso no caso desta época desportiva nem todos os jogadores que se contratam nós acertamos, isso é o aspecto negativo. O aspecto positivo é perceber os jogadores que contratamos e o potencial que esses mesmos jogadores foram desenvolvidos no Benfica e aquilo que o Benfica me propôs, para além de títulos, foi potencializar jogadores, e que eu saiba a resposta do ano passado e deste ano vai ser dada nesse aspecto.»

Saídas no plantel encarnado. Fábio Coentrão e Salvio vão para Madrid?

O Benfica já prepara a próxima época desportiva e a saída de jogadores do plantel encarnado é algo inevitável. Fábio Coentrão e Salvio foram dois jogadores potencializados no Benfica e que provavelmente não vão representar o clube da Luz na próxima época.

«Sim foram dois jogadores que, no caso do Salvio que chegou ao Benfica praticamente sem ser um jogador muito solicitado no Atlético de Madrid, raramente jogava e praticamente não era convocado, conseguimos dar-lhe capacidade porque ele tinha, pois um treinador não faz milagres se o jogador não tiver o potencial. Nós percebemos as características dele. Hoje é um jogador cobiçado não só pelo Benfica mas também por grande parte das equipas da Europa e nomeadamente pelo Atlético Madrid», disse

Jorge Jesus, adiantando que será pouco provável que Salvio seja contratado porque, «não é um jogador do Benfica, o Benfica está dependente do Atlético Madrid e portanto vamos aguardar mas também sabemos que pela lesão que ele teve seguramente, na minha opinião, lá para Outubro Novembro é que ele podia estar em competição».

Sobre o lateral esquerdo apontado ao Real Madrid, Jesus considera que é natural que saiam jogadores esta época, tal como aconteceu na época passada.

«Coentrão é a mesma coisa. Dentro daquilo que nós trabalhamos, o Coentrão é um produto Benfica, um produto Benfica porque foi aqui que ele conseguiu demonstrar todas as suas capacidades, era um jogador que por onde passou nunca foi muito bem potencializado, chegou ao Benfica que acreditou no trabalho dele. A equipa acreditou também nas suas potencialidades e neste momento todos nós sabemos que é um jogador muito querido pela massa de adeptos do Benfica mas isto também faz parte do meu trabalho. No ano passado vi sair três, este ano se vir sair mais um ou dois ou três é também o meu produto do trabalho, da minha produção.»

Promessa do título de campeão

Sobre a promessa do título para a próxima época, Jorge Jesus reformulou as suas palavras e garantiu apenas que vai trabalhar para a reconquista do título.

«Disse que íamos trabalhar para voltar a conquistar o campeonato, são coisas diferentes. Não disse que íamos ser campeões. Isso no futebol ninguém pode dizer. Vamos trabalhar para novamente reconquistar esse troféu».

Rui Costa e a nova estrutura de futebol

Sobre as noticias que dão conta de uma reestruturação no futebol encarnado, nomeadamente na diminuição de poderes de Rui Costa, Jorge Jesus considera que o director desportivo é a pessoa indicada para o cargo.

«Não é verdade. O Rui (Costa) é um elemento que teve sempre muito ligado a mim e ao presidente Tudo o que nós fazemos naquilo que é o futebol fazemos a três portanto o Rui, a área onde estou envolvido é uma área onde ele também está melhor e portanto é a pessoa indicada com o presidente para estarem perto de mim.»

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.