O treinador João Henriques afirmou hoje que o Vitória de Guimarães quer ser "agressivo com bola e sem bola", na deslocação ao reduto do Boavista, que encerra a quarta jornada da I Liga portuguesa de futebol, na segunda-feira.

Na antevisão ao primeiro jogo oficial pelo clube vimaranense, após ter substituído Tiago Mendes, o técnico ribatejano admitiu sentir uma "ansiedade boa" pela estreia, à espera de que as "horas passem rapidamente, para começar a competir", e adiantou que os minhotos vão lutar pelo triunfo.

"Pode-se esperar um Vitória competitivo em todos os momentos do jogo, a tentar ganhar os duelos individuais, a tentar ser agressivo com bola e sem bola. Na agressividade com bola, queremos ser uma equipa pragmática, com objetividade. Queremos criar situações de finalização, de preferência com sucesso, com gente e com presença na área", realçou, na antecâmara do encontro, agendado para as 20:15 de segunda-feira, no Estádio do Bessa, no Porto.

A nível defensivo, João Henriques explicou que a formação de Guimarães quer apresentar-se com "os índices máximos na recuperação da bola", para ter a "bola o mais rapidamente possível" e "defender o mais longe possível da baliza".

"Não vamos ser uma equipa expectante, mas proativa no jogo. É isso que se pode esperar para este jogo e para todos os jogos. O objetivo é a procura dos três pontos em qualquer campo, contra qualquer adversário", frisou.

Com quatro pontos após três jornadas, o Vitória é 12.º classificado e vai jogar no reduto do Boavista, formação que ocupa o 15.º posto da tabela, com dois pontos, mas que exibe "um futebol bastante positivo" e coloca "muita gente no processo ofensivo", mostrando-se "conhecedora dos processos que estão a ser implementados" pelo seu treinador, Vasco Seabra.

João Henriques notou ainda que o clube minhoto, cujo plantel para a época 2020/21 tem 17 reforços, vai defrontar um adversário que também apresenta "muita gente nova" - 20 reforços - e lembrou que jogar no Bessa é "sempre difícil" para o conjunto visitante.

Após uma semana de trabalho em Guimarães, o técnico, de 47 anos, referiu que o grupo a seu cargo, munido de "qualidade", está "num processo de crescimento", com "avanços e retrocessos", que precisa de "tempo" e de "envolvimento competitivo com jogadores experimentados", mas prometeu um Vitória a exprimir algumas das "ideias" que deseja implementar.

"A equipa vai ter coisas muito boas e momentos menos bons. Vamos tentar ao máximo diminuir os momentos menos bons. As expectativas são boas para o primeiro jogo. Vamos ver algumas das ideias implementadas. Vai haver um crescimento natural, com altos e baixos", resumiu.

O Vitória de Guimarães, 12.º classificado da I Liga, com quatro pontos, defronta o Boavista, 15.º, com dois, na partida que fecha a quarta jornada, agendada para as 20:15 de segunda-feira, no Estádio do Bessa, no Porto, e arbitrada por Nuno Almeida, da Associação de Futebol do Algarve.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.