João Paulo Rebelo, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, afirmou que nesta altura está mais preocupado com os clubes locais, que considera terem um papel fundamental ao nível local, do que com "os dirigentes das dezenas de milhares de euros que ganham por mês".

Em declarações ao programa 'Bola Branca', da Rádio Renascença, o secretário realçou que a sua principal preocupação nestes tempos de pandemia passa pelos pequenos clubes locais que têm um papel fundamental nas respetivas comunidades.

"Estou fundamentalmente preocupado é com os clubes de base local que, quando a pandemia terminar têm de lá estar (...) , no interior do país, onde o clube representa a esperança para 15, 20 crianças terem prática desportiva. É com esses que estou preocupado, com os dirigentes benévolos. Não me preocupo tanto, desculpem, com os dirigentes das dezenas de milhares de euros que ganham por mês", disse.

O Secretário de Estado realçou ainda a preocupação à volta dos atletas olímpicos e paralímpicos e da garantia da permissão da prática desportiva mesmo em Estado de Emergência.

"A minha preocupação é com os atletas olímpicos e paralímpicos que passam por um momento devastador, porque estão em suspenso há um ano. (...)  é com os jovens que estão sem praticar deporto há tempo demais. É garantir que os decretos dos estados de emergência permitem a atividade física aos cidadãos", acrescentou.

Virando-se em específico para o futebol, João Paulo Rebelo reforçou a preocupação do Governo em levar os adeptos de novo aos estádios, além de realçar a centralização dos direitos televisivos.

"[A preocupação] é garantir que o público possa retomar aos estádios o mais depressa possível. E depois é garantir, como ainda recentemente anunciei e vai ser revolucionário para o futebol português, a obrigatoriedade da centralização dos direitos televisivos", disse.

Frisando que se encontra em contacto permanente com os diversos agentes do futebol português, o Secretário de Estado do Desporto recusou comentar as declarações de Pinto da Costa, presidente do FC Porto, após o empate em Braga, na passada terça-feira.

"Não entro nesse diálogo, nem tenho reação nenhuma, não faço esse tipo de comentários, porque acho que não vêm ajudar", afirmou.

 *Título corrigido às 16h39. As nossas desculpas pelo erro. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.