O defesa-esquerdo do Tondela Joãozinho negou hoje que tenha alguma vez sido contactado por terceiros para se deixar corromper em jogos da I Liga de futebol, em declarações prestadas à TVI24.

"O que vem no jornal A Bola é completamente ridículo, não tem fundamento nenhum, ninguém me contactou. Não conheço tais senhores de parte alguma. Não percebo o porquê de o meu nome estar associado", disse o jogador, acrescentando que se deslocou diretamente de Tondela para se defender da associação do seu nome a um caso de alegada corrupção do Sporting.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro pessoas na quarta-feira, incluindo o diretor para o futebol do Sporting, André Geraldes, e efetuou buscas na SAD do Sporting, em Lisboa, por “suspeitas de corrupção ativa”, no âmbito de uma operação denominada 'Cashball'.

O nome do jogador do Tondela surgiu associado ao jogo da sexta jornada da edição deste ano da Liga, disputado em 16 de setembro e que o Sporting venceu em Alvalade por 2-0.

"Pelo que vejo só estão associados laterais e centrais. Basta ver o jogo que o Tondela fez em Alvalade e como foram os golos do Sporting, bem como podem ver em todos os jornais a exibição que fiz no jogo", disse Joãozinho sobre o jogo em questão.

Em relação à operação 'Cashball', Joãozinho diz estar disponível para prestar todos os esclarecimentos: "Estou de consciência tranquila, estou aqui a dar a cara e estou à disposição das autoridades para ir com o meu telefone e prestar declarações à PJ. Não tenho nada a esconder, sempre fui sério. Levo mais de 100 jogos na I Liga. Isto já me afeta e à minha família, é surreal."

O defesa-esquerdo do Tondela disse já ter falado com os responsáveis do Tondela, entre os quais o treinador Pepa, informando-os de que iria falar à TVI e que pretende provar que não tem nada a ver com o caso.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.