Jorge Jesus, treinador do Benfica, fez esta tarde a antevisão ao clássico de amanhã, frente ao FC Porto, no Estádio do Dragão. O técnico do Benfica considera que a Supertaça ficou lá atrás e que o jogo de amanhã não será influenciado por essa partida, no final de dezembro. Além disso, 'JJ' revelou que tem apenas um jogador indisponível para a visita ao Dragão e que os onzes apresentados pelas duas equipas não terão muito de surpreendente para os dois técnicos.

Influência da Taça: "São as mesmas consequências que o nosso adversário tem, também não teve muito tempo para preparar o jogo. Aqui estão em pé de igualdade e a importância que nós mais demos depois do jogo da Taça foi tentar recuperar a equipa com algum trabalho ativo, algum técnico-tático mas sem poder, como é obvio, preparar a equipa dentro de uma intensidade que se calhar eu e o Sérgio gostávamos. Estamos preparados para encontrar um adversário que é forte no Dragão. O Benfica também está preparado para essas dificuldades e tem de dar respostas a isso com qualidade, boa organização de jogo defensivo, boa qualidade de jogo ofensiva e tentar, como é óbvio, disputar todos os elementos do jogo, para que o Benfica seja melhor e sair de lá com os três pontos"

FC Porto chega melhor pela série vitoriosa e pela vitória na Supertaça: "Pela Supertaça sim, mas os jogos que leva sem perder leva quase tantos como o Benfica. Só pelo facto da Supertaça, de resto está em pé de igualdade com o Benfica. Quando há um clássico, quando se joga tanto em casa como fora, clássico é clássico, não tem muito a ver com o momento das equipas que se vão defrontar naquele momento, tudo muda, tudo altera. O que é importante para mim é que o Benfica faça um bom jogo e que possa sair do Dragão com uma vitória, porque é nesse o nosso pensamento"

Desempenho da equipa é suficiente para vencer: "Mais nos jogos, porque nos treinos não temos tempo de ver , adaptar e interagir com a equipa no sentido de pôr nos jogadores uma ideia de equipa. Nos jogos a equipa tem demonstrado alguma recuperação, também fruto de ter mais opções como é o caso de amanhã - só temos um jogador lesionado, André Almeida. Tenho muito mais opções para o jogo de amanhã e acho que a equipa está muito melhor do que o que esteve há uns jogos atrás"

Supertaça foi aviso: "Acredito que não, aviso foi para as duas equipas. Um aviso para a que ganhou para saber o que pode corrigir e para a que perdeu, como foi o nosso caso, também saber quais foram os momentos do jogo em que não estivemos tão bem. Agora se isso pode ter influência positiva ou negativa para o jogo de amanhã, não, é uma competição diferente, já passaram alguns dias e por isso, olhando para a minha equipa, esse jogo já não tem nada a ver com o jogo de amanhã"

Derrota/empate aumenta desvantagem para o 1.º lugar: "Esse problema é um problema dos dois. Tanto o FC Porto como o Benfica têm os mesmos pontos, o que perder, fazendo contas que o Sporting ganha [ fica mais longe]. É preferível estar a dois pontos do que a cinco ou a seis, (...). E se o Benfica ou o FC Porto ganhar e o Sporting perder? Estamos aqui a colocar hipóteses de ''ses' e de 'ses' não sei".

Sérgio Conceição disse que era fácil adivinhar o onze do Benfica: "É uma verdade, não foge muito o que posso pensar sobre como o FC Porto se pode apresentar amanhã no Dragão e a mesma coisa para o Benfica. Apesar de num dia muita coisa mudar com a COVID. As coisas não têm muito que enganar, nem eu ao Sérgio, nem o Sérgio a mim"

Lucas Veríssimo vs Abel Ferreira na final da Libertadores: "Ter um jogador que não é meu jogador ainda, que eu saiba não é jogador do Benfica e o Abel na final, não é nada de novo. Já tive oportunidade de falar com ele antes de eliminar o River e disse-lhe que gostava que houvesse um novo português no Maracanã já que eu não posso lá estar, que haja um português. Antes de eliminar o River já tinha essa opinião e já lhe tinha dito"

Vitória pode unir adeptos e dar motivação: "As vitórias são sinónimo disso, as vitórias é que te moralizam e aos adeptos, muito mais os adeptos. Nós sabemos que às vezes não conseguimos ganhar mas estamos confiantes, estamos moralizados porque sabemos que os passos que temos de dar são recuperáveis e que vamos melhorar. Quanto aos adeptos, veem mais em função dos resultados, do dia-a-dia. Uma vitória, para qualquer uma das equipas, garante um conforto muito maior, não só na classificação como moralmente"

Jogo com o Estrela deu descanso a alguns jogadores e tempo para os recuperar e treinar: "Por aí, não garante que o Benfica possa estar num plano superior ao que esteve na Supertaça. Agora pelo tempo que passou, pelos dias que temos treinado mais, por aí garanto que houve mais tempo para treino, houve identificação de ideias e por aí tenho a certeza que estamos melhor do que na altura em que jogámos, mas não pelo facto de ter havido um interregno de alguns jogadores neste jogo com o Estrela da Amadora, que possivelmente vão estar no jogo de amanhã, que nós tivéssemos feito um trabalho muito mais conjunto, em relação às ideias da equipa. Não jogaram mas tiveram de recuperar e eu tive um dia para trabalhar. As duas equipas estão em pé de igualdade, na minha opinião não há vantagem para ninguém. Saem os dois para o jogo em pé de igualdade"

Voltou a ver o jogo da Supertaça muitas vezes: "Vi mais o meu jogo, porque estavam em disputa as duas equipas que vão jogar. Não observei mais nenhum jogo sem ser o jogo que nós jogamos na final. Dá sempre para olharmos para o jogo e tentar corrigir e não fazer os mesmos erros que fizemos nesse jogo"

O que muda sem Otávio no FC Porto: "Na minha estratégia, na ideia de jogo do Benfica, não vai mudar nada. Se tem alguma influência no jogo, pode ter alguma influência na estratégia do FC Porto, porque tem alguma dinâmica com os posicionamentos do Otávio. Agora em relação ao Benfica não muda nada, não é pelo Otávio jogar ou não que o Benfica pode mudar alguma ideia amanhã no jogo"

Erros na Supertaça identificados: "Erros do ponto de vista daquilo que o jogo ditou. Não do ponto de vista técnico-tático, mas nos momentos de jogo que ambas as equipas tiveram, umas vezes o Benfica teve vantagem e outras vezes não. Tentámos identificar e é o meu trabalho analisar e tentar passar uma ideia daquilo que aconteceu no jogo com mais pormenor, com mais certezas, porque estavam os dois intervenientes na disputa do jogo, não há outro adversário. Somos nós e o nosso adversário, é uma forma muito mais fácil de podermos dialogar e falar com os jogadores"

Conhecimento mutuo e o que pode decidir o jogo: "Como em todos os jogos, o que faz a diferença é sempre a qualidade da equipa, a que joga melhor quanto tem bola. Não quer dizer que se for organizada defensivamente isso chega. Aquilo que pode fazer a diferença são algumas jogadas individuais de ambas as equipas, porque têm jogadores que podem criar esses espaços que coletivamente as equipas não conseguem. Desse ponto de vista espero bem que os jogadores do Benfica amanhã, individualmente, possam ser criativos para fazerem essa diferença que eu acredito que têm capacidade para fazer"

 *Última atualização às 14h46

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.