José Eduardo Simões foi condenado a seis anos e meio de prisão efetiva pelo Tribunal da Relação de Coimbra, num agravamento da pena suspensa de quatro anos e sete meses aplicada em primeira instância.

A sentença sobre o presidente da Académica deriva da acusação de  um crime continuado de corrupção passiva para acto ilícito e outro de abuso de poder, segundo avançou esta tarde o site do jornal Público.

O caso remonta ainda ao tempo em que o líder dos 'estudantes' ocupava as funções de diretor do urbanismo da Câmara Municipal de Coimbra, onde José Eduardo Simões teria alegadamente favorecido promotores imobiliários em troca de donativos para a Académica.

O advogado do presidente do clube vencedor da última Taça de Portugal, Rodrigo Santiago, confirmou a decisão do tribunal, sem confirmar de imediato se haverá recurso. Porém, recorde-se que José Eduardo Simões sempre clamou inocência neste processo.

(notícia atualizada) 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.