O treinador do Marítimo, José Gomes, disse hoje que a formação insular está pronta para enfrentar o FC Porto, equipa de “agressividade competitiva”, em partida da 26.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“O que esperamos é um FC Porto muito forte e agressivo, à procura de provocar erros no nosso processo ofensivo. Os jogadores responderam muito bem e trabalharam muito bem e, amanhã [quarta-feira], vamos ver se foi só aparentemente que ultrapassaram esta questão. Sinto que a equipa está bem, está preparada e que vai fazer um jogo positivo no [Estádio do] Dragão”, destacou, na conferência de imprensa de antevisão da visita ao reduto dos portistas.

A chegada de Sérgio Conceição ao FC Porto no verão de 2017 e que levou à conquista do primeiro campeonato ‘azul e branco’ ao fim de cinco anos, foi elogiada, tendo em conta o que o técnico introduziu no seu plantel.

“A razão que levou, na chegada do Sérgio Conceição ao FC Porto, a transformar, naquela época [2017/18], comparativamente entre os três ‘grandes’, talvez a equipa menos forte a ser campeã foi a agressividade competitiva. Isso é uma constante. Isso sabemos que vamos encontrar”, recordou, enumerando vários aspetos em que os ‘dragões’ se evidenciam, como a disputa de bola, os cruzamentos e o ataque à bola no jogo aéreo.

Tanto Marítimo como FC Porto não conseguiram ganhar no regresso da I Liga, na ronda passada, mas José Gomes acredita que a pressão é a mesma para as duas equipas e que o facto de o Benfica, rival direto dos portistas na luta pelo título, jogar antes da partida no Dragão não vai fazer diferença.

Além disso, a derrota do próximo adversário dos insulares em Famalicão, por 2-1, foi igualmente colocada de parte.

“Seria um erro tremendo pensar que vamos encontrar um adversário debilitado. Já estaríamos a entrar em desvantagem se pensássemos assim. Sabemos como é o FC Porto na sua máxima força e foi atendendo a essas características que nos preparamos”, alertou.

O Marítimo nunca ganhou no reduto do FC Porto para o campeonato e só conseguiu dois empates em 37 deslocações (0-0, em 2008/09, e 1-1, em 1980/81), números “expressivos” para o técnico ‘verde rubro’ que, ainda assim, recordou que “tudo pode acontecer” no futebol, antevendo “mais surpresas” na reta final da prova, na qual não haverá espaço para facilitismos.

Em relação às críticas feitas à arbitragem por Sérgio Conceição, o treinador maritimista afirmou que, por vezes, acontecem situações que não são agradáveis, salientando a alteração à lei da mão, mas que está convicto de que os árbitros vão tomar as decisões corretas.

“Já não é fácil para a vida de um treinador conseguir afinar e preparar tudo aquilo que pode controlar. Eu tenho que me preocupar com aquilo que controlo. Estou concentrado no que a minha equipa pode fazer. Os árbitros também têm a sua tabela classificativa, querem ter uma boa nota e têm pessoas a observar, assim como os videoárbitros”, comentou.

O Marítimo, 15.º classificado, com 25 pontos, visita o FC Porto, segundo, com 60, em igualdade com o líder Benfica, na quarta-feira, pelas 21:30, em jogo com arbitragem de Tiago Martins, da Associação de Futebol de Lisboa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.