José Veiga foi detido esta quarta-feira de manhã pela Polícia Judiciária, sendo acusado de crimes de corrupção no comércio internacional, branqueamento de capitais, tráfico de influências, participação económica em negócio e fraude fiscal, segundo apurou o jornal Correio da Manhã.

A mesma publicação, refere que a investigação “rota do Atlântico” está relacionada com dezenas de milhões de euros com origem no Congo que passaram pela conta do empresário português e serviram para compra de imobiliários, carros de alta gama, entre outros.

Juntamente com José Veiga, foi detido Paulo Santana Lopes, irmão do provedor da Santa Casa Pedro Santana Lopes, e uma advogada. Os três serão ainda hoje presentes a tribunal para serem sujeitos a interrogatório. Posteriormente serão aplicadas as medidas de coações.

Desde 2009 que o empresário vive na República do Congo, e é lá que tem a sua residência fiscal desde 2011, segundo o Diário de Notícias.

O mesmo jornal referiu que o português tem negócios em vários países africanos como: Cabo Verde, Guiné Equatorial, Benim, Nigéria, Costa do Marfim, Togo e Guiné-Conacri, operando como consultor.

José Veiga foi empresário de futebol e, posteriormente, diretor desportivo do Benfica, até 2007. A mais conhecida transferência do futebol com a chancela do agente prendeu-se com a ida de Luís Figo do Barcelona para o Real Madrid.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.