Jovane Cabral vai, esta temporada, envergar a mítica 'camisola 10' do Sporting, deixando para trás o número 77 que foi seu desde que chegou à equipa principal, mas garante que não irá sentir o peso do número.

"Quando era criança, em Cabo Verde, jogava sempre com o número 10. Quando cheguei à formação do Sporting esse número já estava ocupado, ainda que o tivesse usado uma vez ou outra. Quando subi à equipa principal também já estava ocupado, mas meti na cabeça que um dia o queria ter", explicou em entrevista ao jornal Sporting.

Os leões vão, esta temporada, defender o ceptro de campeões nacionais conquistado em 2020/21 mas, tal como o número que envergará nas costas, também isso não colocará pressão extra, maior do que aquela que representar o clube leonino já acarreta.

"A nossa única pressão é a de jogarmos no Sporting e a exigência do míster, ainda que nos dê liberdade dentro do campo, faz com que estejamos focados", sublinhou.

Jovane recusa também a ideia de que o Sporting deve assumir o favoritismo na nova época que se avizinha, garantindo que a filosofia da equipa será a mesma da temporada passada.

"Queremos pensar apenas jogo a jogo e no final fazemos as contas. Somos um grupo jovem que só pensa em ajudar a equipa e o Sporting. Vamos fazendo os nossos pontos ao longo da época e depois vê-se quem é o vencedor", frisou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.